FANDOM


Os Pergaminhos Vermelhos da Magia
PVM capa 01
Informação
Título Original

The Red Scrolls of Magic

Autor(es)
Artista da Capa

Anne Lambelet

Narrador(es)

BD Wong

Data de
Lançamento

09 de Abril de 2019 EUA-UK icone
18 de Nov. de 2019 Brasil-icone

Editora

Margaret K. McElderry EUA-UK icone
Galera Record Brasil-icone

Nº de Páginas
  • 368 EUA-UK icone
  • 294 Brasil-icone
Capa
Série
As Maldições Ancestrais
 1  2  3
Cronologia
Precedido por
Cidade de Vidro
Seguido por
Cidade dos Anjos Caídos
Ordem de Lançamento
Lançado depois de
Rainha do Ar e da Escuridão
Lançado antes de
Fantasmas do Mercado das Sombras

Os Pergaminhos Vermelhos da Magia é o primeiro livro da trilogia As Maldições Ancestrais, co-escrita por Cassandra Clare e Wesley Chu.

Enredo

Tudo o que Magnus Bane queria era férias – uma viagem luxuosa pela Europa com Alec Lightwood, o Caçador das Sombras que, contra todas as probabilidades, é finalmente seu namorado. Mas assim que a dupla se instala em Paris, um velho amigo chega com notícias sobre um culto de adoração de demônios chamado Mão Carmesim, que está empenhado em causar o caos em todo o mundo. Um culto que aparentemente foi fundado pelo próprio Magnus. Anos atrás. Como uma piada.

Agora Magnus e Alec devem correr pela Europa para rastrear a Mão Carmesim e seu novo líder antes que o culto possa causar mais danos. Como se não fosse ruim o suficiente que sua fuga romântica tivesse sido desvirtuada, os demônios agora estão perseguindo cada passo deles, e está ficando cada vez mais difícil distinguir o amigo do inimigo. À medida que a busca por respostas se torna cada vez mais difícil, Magnus e Alec terão que confiar um no outro mais do que nunca – mesmo que isso signifique revelar os segredos que ambos guardam.[1][2]

Capítulos

O livro possui 31 capítulos, divididos em três partes e um epílogo. Os títulos de cada parte e o epílogo referem-se à sua ambientação correspondente.

Parte I: Cidade de Amor

  1. Colisão em Paris
  2. Estrelas Formam Seu Nome
  3. A Mão Carmesim
  4. Muito Permanece
  5. Mercado das Sombras
  6. Confronto À Noite
  7. O Expresso do Oriente
  8. Velocidade de Fogo
  9. Shinyun

Parte II: Cidade de Máscaras

  1. Labirinto de Água
  2. Máscaras
  3. Pisar Suavemente
  4. Dance-Me com Sua Beleza
  5. Água Alta
  6. Mori Shu
  7. Os Pergaminhos Vermelhos da Magia
  8. Segredos Amargos

Parte III: Cidade de Guerra

  1. Os Tesouros Que Prevalecem
  2. Preso no Céu
  3. Aqua Morte
  4. Fogo na Mão Carmesim
  5. O Grande Veneno
  6. O Sangue de Helen Blackthorn
  7. Filha Amaldiçoada
  8. Correntes de Magia
  9. Pecados Antigos
  10. Forjado em Fogo
  11. O Príncipe dos Tolos
  12. O Cavaleiro Tolo
  13. O Resultado da Glória
  14. A Qualidade da Misericórdia

Epílogo: Cidade Que Eu Chamo de Lar

Teasers

Para mais, vá para a página da série ou verifique a página de trechos não identificados.

Informações

  • Magnus Bane e Alec Lightwood são os personagens principais, ambos com ponto de vista.[3][4][5]
  • Personagens definidos para aparecer, além de Magnus e Alec, incluem: Raphael Santiago,[6][7][8][9][10] Tessa Gray,[11][12] Aline Penhallow,[7] Helen Blackthorn,[13][14] e Lily Chen,[15] Clary, Jace, Isabelle, Simon[16] e Asmodeus.[17]
  • O livro começará com uma citação de Schopenhauer: "Desejar a imortalidade é desejar a eterna perpetuação de um grande erro".[18]
  • O livro irá começar durante a viagem de Magnus e Alec a Europa que foi mencionada em Cidade dos Anjos Caídos.[19][20] O restante desse volume também pode acontecer durante Cidade dos Anjos Caídos.[21]
  • A viagem de Magnus e Alec para o Louvre em Paris está definida para ser mostrada no livro.[11][22] Eles serão assediados por demônios e cultistas durante sua viagem.[22]
  • Eles podem visitar o Labirinto Espiral e se encontrarem com Tessa Gray.[11][23] Tessa dirá a eles as "notícias surpreendentes" sobre um culto de adoração de demônios,[16] a Mão Carmesim, que Magnus fundou acidentalmente anos antes,[16][1][2] que darão início à trama do livro.[12]
  • Algumas das aventuras dos personagens neste livro foram referenciadas em A Terra Que Perdi e Rainha do Ar e da Escuridão.
  • Magnus e Alec serão sequestrados a bordo do Expresso do Oriente e encontrarão vampiros rabugentos em Veneza.[16] Como revelado em A Terra Que Perdi, Alec e Magnus estarão combatendo demônios a bordo do trem (com Alec por algum motivo estando "encharcado" e sem camisa durante a luta), salvando vários passageiros, incluindo Juliette. Eles também estarão em uma festa em uma mansão em Veneza e a mansão entrará em colapso. Lily e Raphael aparentemente estavam na festa. Lily ficou com várias pessoas na festa,[9][10] incluindo uma loira gostosa que ela mencionou.[9][24]
  • Aline vai lembrar com carinho de seu tempo com Magnus nessas histórias, incluindo o tempo que passaram juntos em Roma, durante o qual ela descobriria que Magnus faz piadas quando está com medo. Ela e Helen também se conheceram em Roma.[25][14][22]
  • Magnus pode revelar o conhecimento de um irmão ou dois.[26]
  • Aline e Raphael deverão interagir neste livro.[7]
  • "Alec tem a oportunidade de conhecer Raphael como uma pessoa que realmente conhece Magnus muito bem." [Alec vai] “conhecer os membros do Submundo que Magnus se importa e ver mais do ponto de vista deles, o que vai levar ele para o caminho não só do relacionamento que ele tem com Magnus, mas do homem que ele vai se tornar. Raphael está em uma festa que os membros do Submundo estão dando pela morte de Valentim, e ao comparecer a ela, Alec vê como os membros do Submundo estavam se sentindo ameaçados e o quão orgulhosos eles são de ter seus próprios heróis. (Uma dríade pede pelo autógrafo de Raphael. Raphael escreve “ME DEIXE EM PAZ” em uma folha. Alec fica impressionado de encontrar alguém que é pior do que ele em festas)."[8]
  • Alec irá encontrar Lily apropriadamente pela primeira vez neste volume.[15]
  • Três personagens que Lily aprecia – e que foram introduzidos ou mencionados antes – serão revelados.[15]
  • A série está definida para mostrar ou explorar como Helen e Aline se apaixonaram.[13][14] O primeiro beijo delas também será mostrado.[27]
  • O passado de Magnus com Etta, particularmente sua relutância em suportar sua imortalidade, alimentará os medos de Magnus, o que complica seu relacionamento com Alec.[28]
  • A Mão Carmesim aparentemente está sacrificando fadas para criar um Príncipe do Inferno que irá desencadear a anarquia no Mundo das Sombras.[29]
  • O livro irá explorar como o relacionamento de Magnus e Alec ficou muito mais profundo depois que eles saíram de férias (entre Cidade de Vidro e Cidade dos Anjos Caídos), que apesar de terem acabado de se reunir, voltaram comprometidos a viver e morrer um pelo outro. "À medida que a busca por respostas se torna cada vez mais medonha, Magnus e Alec terão que confiar um no outro mais do que nunca – mesmo que isso signifique revelar os segredos que ambos guardam."[16]
  • Uma personagem feminina chamada Shinyun Jung será apresentada.[30]
  • Os autores querem que seja um livro alegre e uma clássica comédia romântica.[31][16][30]
  • Em uma cena do livro, Aline reagirá mal à visão do tipo específico de demônio que a atacou em Cidade de Vidro; Helen vai perceber isso e chegar para consolá-la e vai marcar uma das coisas que fizeram Aline começar a se apaixonar por Helen.[32]
  • Alec, Helen e Aline vão montar uma grande missão de resgate e enfrentarão um novo tipo de demônio.[17]
  • Aline e Alec vão discutir a mudança do sistema da Clave por dentro.[33][34]

Trechos

Teaser #1

Magnus sentiu dor ao pensar. Algo gritou para ele dar pelo menos uma chance a Alec Lightwood. Mas apesar de Magnus ter aparência de 19 anos, ele não era um bobo e não era novo no amor, e não era há muito tempo. Esse relacionamento era provavelmente uma causa perdida, um caso passageiro, na melhor das hipóteses.

Ele acariciou o rosto de Alec e o puxou para perto enquanto eles ficaram parados no meio do caminho, sob a meia-lua escondida atrás de algumas nuvens escuras. Eles encostaram seus lábios, gentilmente, e ele sentiu um braço em torno de sua cintura e o prazer de seus corpos se pressionando juntos. Magnus podia sentir o coração de Alec batendo através da camisa dele, mandando gentis [...]

Teaser #2

Os dois foram direto para a cama, beijando e se puxando e tropeçando um sobre o outro, quase caindo no processo. Eles caíram no colchão em um emaranhado e abriram seu caminho em direção à cabeceira da cama, as mãos no cabelo um do outro, no corpo um do outro, se mexendo mutuamente para a vida incandescente.

Magnus se afastou dos lábios de Alec e puxou inutilmente os nós que mantinham o lençol em volta do corpo do Caçador de Sombras. “Como você amarrou esta coisa?” Ele rosnou.

Alec, os lábios inchados de beijos e os olhos ardendo de desejo, não parecia capaz de responder – ele só foi para os botões da camisa de Magnus com os dedos trêmulos antes de finalmente desistir e apenas rasgar a peça de roupa a partir do meio, botões voando através do quarto. Finalmente, mais por frustração que conveniência, Magnus sacudiu seu pulso para o lençol como se espantando uma mosca e enviou a coisa toda voando para algum lugar sobre o Oceano Índico.

Alec ergueu a cabeça para ver o lençol desaparecer. Quando olhou de volta para Magnus, o feiticeiro olhava para ele com uma profunda seriedade em seus olhos verde-dourados. “Você passa toda a sua vida cuidando e se sacrificando pelas pessoas”, disse Magnus, e seus dedos gentis traçaram seu caminho ao longo do torso nu de Alec, o fazendo tremer. “É a sua vez de simplesmente se deitar e relaxar...”

marcado com "primeira vez de Alec"

Teaser #3

“Uh,” Alec disse. “Você consegue pilotar um balão?”

“Claro!” Magnus declarou. “Eu já te contei sobre a vez em que eu roubei um balão para resgatar a Rainha da França?”

Alec deu uma risada baixa como se Magnus estivesse fazendo uma brincadeira, mas Maria Antonieta tinha dado um certo trabalho.

“É só que,” Alec disse, meio pensativo. “Eu vi você tentar trabalhar em seu próprio DVR, e não foi bonito.” Ele ficou parado admirando o balão, que estava cheio de glamour. No que diz respeito aos humanos sentados na Torre Eiffel, Alec estava apenas olhando o ar livre.

“Dificilmente eu vou bater o balão em uma chaminé,” Magnus protestou. “Eu estava pensando em como proteger você se nós batêssemos o balão em uma chaminé.”

Enquanto passava por Magnus, Alec parou e empurrou uma mecha de cabelo da testa de Magnus. Seu toque era leve, macio, mas casual como se Alec nem tivesse noção que estava fazendo aquilo. Magnus nem tinha percebido que seu próprio cabelo estava caindo em seus olhos. Magnus inclinou a cabeça e sorriu. A ideia de ser protegido era estranha pra ele, mas ele sentia que podia se acostumar com isso.

Ele usou a cadeira dele como impulso e subiu na plataforma balançando. No momento que ele colocou os dois pés no chão, parecia que estava em pé em terra firme. Ele ofereceu uma mão. “Confie em mim.”

Alec hesitou, então segurou a mão de Magnus. Seu aperto era forte, e seu sorriso era doce. “Eu confio.”

Ele seguiu Magnus, saltando levemente sob a grade para a plataforma. Eles sentaram na mesa, e o balão, saltando como um barco a remo no oceano agitado, se afastou completamente da Torre Eiffel. Segundos depois, eles estavam flutuando alto acima do horizonte enquanto a visão de Paris se expandia em todas as direções que os olhos deles pudessem ver'.

Teaser #4

“Ótimo,” disse uma voz do fundo do grupo. “Porque eu quero falar com Alexander Lightwood a sós.”

Helen Blackthorn saiu de trás da multidão e parou, com seus braços cruzados, encarando Alec.

Aline parou, encarando. O primeiro impulso de Alec era de correr e pular pela janela. Então ele lembrou o quão alto era o andar onde eles estavam.

Helen o guiou até a sala de registros, que surgiu do lado do Instituto de Roma, então tinham janelas para todos os lados e apenas uma porta. Aline seguiu eles. Ela estava completamente calada e não estava sendo de ajuda nenhuma. Leon foi logo atrás, dando um pequeno aceno para Alec.

Helen parou na frente da única saída e disse:

“Então, Alec. Primeiro você se recusa a vir até Roma para o interrogatório, então você saiu rapidamente de uma cena de crime em Veneza, e foi para Roma por sua própria conta. Roma, que é para onde nosso informante, Mori Shu, disse que o culto Crimson Hand estava indo. Essa foi a última novidade que recebemos dele antes de encontrarmos ele morto.”

“Você está me seguindo?” Alec perguntou.

“Eu não tenho que te seguir,” disse Helen. “Onde você vai, você deixa uma trilha de corpos e mansões destruídas! Onde está Magnus Bane? O que aconteceu em Veneza?”

Helen estava claramente pronta para fazer mais perguntas quando Aline moveu uma mão, colocando entre eles. “Com licença.”

“O que?” Helen pareceu notar ela pela primeira vez. Os olhos delas se encontraram.

“Hey,” disse Aline.

Houve uma pausa momentânea.

“Oi,” disse Helen.

Mais silêncio se seguiu.

“Desculpe,” disse Alec. “Eu estava muito ocupado sendo interrogado para fazer as apresentações adequadas. Helen Blackthorn, essa é Aline Penhallow. Aline, essa é Helen.”

“E eu sou Leon,” disse Leon. Aline nem ao menos olhou para ele.

Helen continuou encarando Aline. Alec se perguntou se ela estava desconfiada da garota também.

“Certo,” Helen murmurou enfim. “De todo jeito, eu tenho perguntas.”

“Eu tenho uma pergunta também,” disse Aline e engoliu em seco. “Quem você pensa que é, Helen Blackthorn, e porque está falando com o meu amigo como se ele fosse um criminoso?”

Teaser #5

Magnus não resistiu, e Alec o envolveu em um abraço bem apertado. Ele ficou com os braços em torno do corpo magro de Magnus, sentindo seu peito descendo e subindo um contra o outro, e segurou-o firmemente. Magnus deixou sua cabeça apoiada no ombro de Alec.

“Você salvou a si mesmo,” Alec disse no ouvido de Magnus. “Você salvou a si mesmo, e então você salvou muitas pessoas. Você não teria salvo ninguém, se não tivesse salvo a si mesmo. Eu nunca teria te conhecido.” Alec estava certo sobre a escuridão esperando dentro de Magnus e a dor que viria com isso. Toda aquela escuridão e toda aquela dor e Magnus ainda, de algum jeito, era aquela flama de vida e cor, um turbilhão de felicidade para todos em volta dele. Ele era a razão pela qual Alec olhava no espelho agora e via uma pessoa completa que não tinha porque se esconder.

Eles continuaram abraçados, o fogo próximo a eles apagando. Era quieto na luz da lua. Alec continuou.

Teaser #6

Aline ainda estava ajoelhada ao lado de Helen, segurando a mão dela.

“Apenas no caso de nós morrermos,” ela disse. “Eu sei que nós acabamos de nos conhecer, Helen, e você provavelmente vai pensar que eu sou louca. Eu provavelmente sou louca, mas no momento que eu te vi –”

“Nós não vamos morrer,” Alec invadiu. “Eu tenho que encontrar Magnus. Helen, o quão alto você pode pular?”

“Alec!” Aline quase gritou. “É rude interromper!”

Teaser #7

Alec se desviou da pergunta de Isabelle com uma dele mesmo. “Como está Simon?” Foi uma medida do desespero de Alec ao ele tentar isso, já que ele não gostava muito da ideia de sua irmã namorar um vampiro. Mesmo que para um vampiro, Simon parecesse um cara legal o bastante. Alec não o conhecia tão bem. Simon falava demais.

Isabelle riu, um pouco alto demais. “Bem. Quer dizer, eu não sei. Porque eu devia me importar? Eu o vejo ocasionalmente, e ele parece bem, mas eu não me importo. Aquele vampiro não é nada além de um brinquedo pra mim. Um brinquedo com presas.” Isabelle tinha namorado muitas pessoas antes, mas ela nunca ficava defensiva assim. Talvez fosse por isso que Alec não gostava de Simon: parecia que, pela primeira vez, sua irmã invencível poderia se machucar.

Alec nunca permitiria que alguém machucasse Isabelle. “Desde que você não se transforme no brinquedo de mastigar dele,” disse Alec. “Escute, eu preciso de um favor.”

O tom de Isabelle foi cortante. “Porque você está usando essa voz?”

“Que voz?”

“A voz de ‘Eu sou um Caçador de Sombras em um trabalho oficial’. Alec, você está de férias. Você devia se divertir.”

“Eu estou me divertindo.”

“Não acredito em você.”

“Você vai me ajudar ou não?”

Isabelle riu. “Claro que vou. Em que bagunça você e Magnus estão se enfiando?”

Alec prometeu a Magnus que ele não contaria a ninguém, mas certamente Isabelle não contava...

Teaser #8

“Estou tentando não fazer contato visual com ninguém aqui”, disse Raphael. “E eu não sou um informante dos Caçadores de Sombras. Ou um fã de falar com as pessoas, de qualquer tipo, em qualquer lugar.”

Alec revirou os olhos. Neste ponto, uma mulher fada veio girando. Ela tinha folhas na sua parte de cima e estava envolta em fitas e hera e não muito mais do que isso. Ela tropeçou em uma linha da hera e Alec a pegou.

“Ótimos reflexos!” Ela disse brilhantemente. “Também ótimos braços. Você estaria interessado em uma agitada noite de paixão proibida, com a opção de se estender para sete anos?”

“Hm. Eu sou gay”, disse Alec.

Ele não estava acostumado a dizer isso casualmente pra qualquer pessoa aleatória. Era estranho dizer isso e sentir tanto alívio quanto uma sombra do seu velho medo, entrelaçados.

É claro que a declaração poderia não significar muito para as fadas. A mulher fada aceitou com um encolher de ombros, depois olhou para o chão onde Raphael estava sentado emburrado e acendeu. Algo sobre a jaqueta de couro ou a as sobrancelhas franzidas pareceu chamar fortemente a atenção da fada.

“E você, vampiro transviado?”

“Eu não sou gay”, disse Raphael. “Eu não sou hetero. Eu não estou interessado.”

“Sua sexualidade é ‘não estou interessado’?”, Perguntou Alec, curioso.

Raphael disse: “Isso mesmo.”

A fada pensou por um momento, depois se aventurou: “Eu também posso assumir a aparência de uma árvore!”

Raphael pareceu escandalizado. “Jovem senhora árvore, reconsidere sua vida e suas escolhas. Na Igreja.”

A fada franziu a testa. “Ah, você é Raphael Santiago? Eu ouvi sobre você.”

Raphael fez um gesto de dispensa. “Você já ouviu falar que eu gosto quando as pessoas vão embora?”

Teaser #9

Uma lenta e doce canção com uma batida trêmula começou. Alec não teria pensado que a pista de dança poderia ficar mais cheia, mas ficou. Dezenas de Seres do Submundo mascarados em trajes formais que antes estavam em pé perto das paredes convergiram no chão. Alec se viu parado desajeitadamente sozinho no centro da sala enquanto os casais giravam em torno dele em uníssono. Coroas de espinhos e imensas penas multicoloridas bloqueavam sua visão. Ele olhou em volta, alarmado, por uma rota de fuga.

Em vez disso, ele viu Magnus. Magnus todo em prata e preto, como o céu noturno. "Me concede esta dança, senhor?"

"Eu estava indo encontrá-lo," disse Alec, um pouco sem fôlego.

"Eu vi você chegando." Os lábios lindos de Magnus se curvaram sob sua máscara brilhante. "Nós nos encontramos."

Ele se aproximou de Alec, com uma das mãos na parte inferior das costas, entrelaçando os dedos uns com os outros e beijando-o. O toque da boca dele era como um raio de luz na água, iluminando e transformando. Alec se aproximou instintivamente, ansiando por ser iluminado e transformado novamente, depois lembrou que eles tinham uma missão. Ele deve permanecer na tarefa.

"Eu conheci uma Caçadora de Sombras aqui chamada Helen Blackthorn," ele murmurou contra a boca de Magnus. "Ela disse..."

Magnus o beijou novamente.

"Algo fascinante, tenho certeza," disse ele. "Você não respondeu a minha pergunta."

"Que pergunta?"

"Me concede esta dança?"

"Claro," disse Alec. "Quero dizer, eu adoraria essa dança. É só que eu sei que devemos resolver isso."

Magnus respirou fundo e assentiu.

"Nós vamos. Conte-me."

Ele estava sorrindo antes, mas o sorriso havia desaparecido. Em vez disso, havia um certo peso nos ombros de Magnus. Magnus se sentia culpado, Alec percebeu pela primeira vez, com um tremendo desalento. Magnus sentiu como se estivesse estragando as férias de Alec, quando a verdade era que não haveria feriado sem Magnus, sem brilho de magia e sem choques de alegria, sem luzes e sem música.

Alec estendeu a mão e tocou a brilhante máscara prateada que Magnus usava. Ele podia ver seu próprio rosto refletido na máscara como se fosse um espelho, olhos arregalados e azuis contra o carnaval cintilante do salão de baile veneziano. Ele quase não se reconheceu, parecia tão feliz.

Então ele empurrou a máscara para cima e ele pôde ver o rosto de Magnus. Isso era melhor.

"Vamos dançar primeiro," disse ele.

Teaser #10

"O que foi esse barulho?" Alec perguntou, ligeiramente alarmado.

"Oh, é só Jace," disse Isabelle com desdém. "Tire as mãos, Jace! Ele me ligou."

"Não, o som é como mil tampas de lixo caindo do céu."

"Oh, Jace estava balançando um grande machado em uma corrente quando você ligou," disse Isabelle. "Jace! Seu machado está preso na parede. Não se preocupe com coisas sem importância, Alec. Me atualize sobre as coisas importantes. Como está Magnus, e eu não quero dizer o bem-estar dele?"

Alec tossiu.

"Quero dizer, como estão suas habilidades, e eu não estou falando sobre as mágicas," esclareceu Isabelle.

"Eu entendo o que você quer dizer!" disse Alec.

Alec não tinha exatamente uma resposta para Isabelle sobre esse assunto específico. Quando ele e Magnus estavam namorando em Nova York, houve várias vezes quando Alec realmente queria levar as coisas mais longe, mas ele não tinha certeza de como se sentia. Ele estava assustado com a imensidão de quanto ele se sentia. Eles só conseguiram sair. Magnus nunca havia pressionado. Então a guerra chegou, e depois da guerra, Magnus o chamou para férias na Europa, e Alec disse que sim. Alec presumiu que ambos entendiam que Alec estava pronto para ir a qualquer lugar e fazer qualquer coisa com Magnus. Ele estava nervoso, mas queria tentar tudo: ter um futuro juntos, indo o mais longe que pudessem, em todos os sentidos da palavra.

Apenas Magnus não havia feito nada. Magnus sempre foi tão cuidadoso com Alec. Nesse caso, Alec desejava estar sendo menos cuidadoso, porque Alec não era muito bom em conversas, especialmente conversas embaraçosas sobre sentimentos – que eram todas as conversas sobre sentimentos – e ele não conseguia descobrir como perguntar.

Certamente Magnus queria. Não queria?

Teaser #11

"Helen," disse Alec. "A Clave nos diz para não confiar em Seres do Submundo. Apesar dos Acordos, apesar de tudo, todos nós somos doutrinados, e nós... Ele parou, olhando para as estrelas claras e frias. "Eu costumava seguir as regras porque achava que isso manteria a todos com quem eu me importava a salvo," disse ele. "Mas comecei a perceber que todos que me interessam são um grupo maior e um grupo diferente do que a Clave foi construída para aceitar."

"Então, o que você está sugerindo que façamos?" Helen perguntou.

"Nós mudamos a Clave," disse Alec. "De dentro. Nós fazemos novas leis. Melhores."

"Diretores de Institutos podem sugerir novas leis," disse Aline. "Sua mãe —"

"Eu quero fazer isso sozinho," disse Alec. "Eu percebi — não preciso mudar. E nem você, Helen, nem você, Aline. É o mundo que precisa mudar, e nós vamos ser os únicos a mudar isso."

Teaser #12

"Eu posso ter exagerado um pouco," Magnus admitiu. "Mas eu queria colocar toda a grandeza e deslumbramento da Europa a seus pés. Eu queria que você se divertisse.

"Eu me diverti" disse Alec. "Mas eu não precisei de nada disso. Elram apenas lugares. Você não precisa definir nenhuma cena para me convencer. Eu não preciso de Paris, Veneza ou Roma. Eu só quero você."

Teaser #13

Um grupo de fadas bêbadas passou tropeçando. A comemoração estava visivelmente aumentando em decibéis e selvageria. Catarina esperou até que estivessem sozinhos novamente para continuar. "Você está nessa bagunça e ainda tem um Caçador de Sombras com você?" ela reclamou. "Magnus, eu sabia que você estava vendo ele, mas esse é um longo caminho depois de se divertir. É seu dever contar à Clave que você fundou esse culto. Eles vão ouvir o boato de que você está lidando com isso eventualmente, se o seu Lightwood diz ou não. O Nephilim não vai procurar mais por um culpado. Os Nephilim não admitem fraqueza. Não há espaço em seus corações para piedade ou misericórdia. Eu vi os filhos do Anjo matarem os seus próprios por quebrar a sua preciosa Lei. Magnus, estamos falando da sua vida."

"Catarina," disse Magnus, "eu amo ele."

Ela olhou para ele. Seus olhos eram da cor do oceano, varridos por tempestades e com o tesouro afundado abaixo das ondas. Ela usara uma máscara de peste durante pragas reais. Ela tinha visto tantas tragédias, e ambos sabiam que as piores tragédias nasceram do amor.

"Você tem certeza?" Ela disse baixinho. “Você sempre espera o melhor, mas desta vez a esperança é muito perigosa. Este poderia te machucar pior do que os outros. Este pode te matar."

Teaser #14

Alec deu um agradecimento, pensando: "Oh," quando o trem surgiu em uma curva no coração do interior da França. Uma densa floresta verde-escura emoldurava lagos espelhados e, ao longe, montanhas cobertas de neve observavam a paisagem. Mais perto, um promontório rochoso erguia-se como a proa de um navio, da distinta grade de vinhas brilhantes abaixo.

Magnus observou a paisagem, depois o rosto de Alec e depois a paisagem novamente. Ver isso com ele era como ver o mundo ser novo. Magnus tinha passado pelo Parc du Morvan antes, mas pela primeira vez em muito tempo, ele se sentiu maravilhado também.

"Em algum momento," disse Alec, "atravessaremos as alas de Idris e o trem inteiro saltará da fronteira próxima para a fronteira mais distante em um instante. Eu me pergunto se poderemos dizer."

Havia uma nota de desejo em sua voz, embora Alec não tivesse vivido em Idris desde que ele era pequeno. Os Nephilim sempre tinham um lugar onde pudessem voltar, não importando o que, um país de florestas encantadas e campos ondulados, e no centro, uma cidade de torres de vidro brilhantes. Dada pelo anjo. Magnus era um homem sem pátria e tinha sido por mais tempo do que conseguia se lembrar. Estranho, ver a bússola da alma de Alec girar com segurança e apontar para casa. A bússola da alma de Magnus girava livremente dentro dele, e ele estava acostumado a isso.

Suas mãos demoraram juntas, os dedos de Magnus se curvaram ao redor de Alec enquanto eles olhavam para nuvens pesadas que rolavam do leste.

Magnus apontou para um dos aglomerados de nuvens de tempestade. "Aquela longa parece uma serpente que se amarrou em um nó. Aquela parece o croissant que eu tive esta manhã. Aquela... uma lhama, eu acho? Ou possivelmente meu pai? Tchau, pai! Espero não te ver em breve!" Ele soltou um beijo sarcástico.

"Isso é como a coisa com as estrelas?" disse Alec. "É romântico nomear as coisas que você vê no céu?"

Magnus ficou em silêncio.

"Você pode falar sobre ele, se quiser," disse Alec.

"Meu pai o demônio, ou meu padrasto que tentou me matar?" Magnus perguntou.

"Ambos."

Teaser #15

"Por favor, pare de me bater na cabeça com o seu bico."

Teaser #16

"Como está Paris?" perguntou Jace à toa. "Se você não está se divertindo, pode voltar cedo."

"Paris é bom," disse Alec. "Como estão as coisas?"

"Bem, meus negócios estão ótimos e lutando contra demônios, e negócios são bom," disse Jace.

Teaser #17

"Magnus Bane! Pensei que fosse voçê."

Magnus se virou para a voz. "Johnny Rook! O que você está fazendo em Paris?" Johnny Rook era um dos raros mundanos que tinham a habilidade de ver o Mundo das Sombras. Ele geralmente estava baseado no Mercado das Sombras de Los Angeles.

Magnus pesquisou Johnny sem entusiasmo. Ele usava um casaco preto e óculos escuros (embora fosse noite), com cabelo loiro sujo curto e corte César e barba por fazer. Havia algo de leve em seu rosto: Magnus ouvira um boato de que Johnny havia contratado fadas para aprimorar suas feições permanentemente, mas, se fosse verdade, Magnus achava que Johnny havia desperdiçado seu dinheiro. O homem também era conhecido como Rook, o Trapaceiro, e ele estava comprometido com sua estética.

"Prestes a perguntar o mesmo de você," disse Johnny, avidamente curioso.

"Férias," Magnus disse sem compromisso. "Como está seu filho? Cat, é isso?"

"Kit. Ele é um bom menino. Crescendo como um broto. Mãos rápidas, muito úteis na minha linha de trabalho."

"Você tem o seu filho roubando bolsos?"

"Um pouco disso. Um pouco de passar ninharias como chaves. Algum truque de mão. Todo tipo. Ele é multitalentoso."

"Ele não tem dez anos?" Magnus perguntou.

Johnny encolheu os ombros. "Ele é muito avançado."

"Claramente."

"Procurando por algo especial no Mercado? Talvez eu possa estar de serviço."

Magnus fechou os olhos e contou até dez devagar. Contra seu melhor julgamento, ele disse casualmente: "O que você sabe sobre a Mão Carmesim?"

Johnny revirou os olhos. "Cultos. Adoração a Asmodeus."

O coração de Magnus deu um baque duro e pontudo. "Asmodeus?"

Ele teria que dizer a Alec que Asmodeus era seu pai? Alec nunca perguntou quem era o pai demônio de Magnus e Magnus não queria dizer a ele. A maioria dos feiticeiros tinham pai ou mãe demônios comuns. Era má sorte de Magnus que seu pai fosse um dos Nove Príncipes do Inferno.

"Asmodeus?" Ele disse novamente para Johnny. "Você tem certeza?"

Teaser #18

"O amor muda você. O amor muda o mundo. Você não pode perder esse amor, não importa quanto tempo você viva."

Teaser #19

Magnus lançou alguns feitiços de proteção para protegê-los enquanto eles dormiam, então se juntou a Alec no sofá, subindo em um braço e rastejando em cima de Alec como Presidente Miau faria se eles estivessem em casa. Ele se cobriu com o corpo de Alec, enfiou o rosto na curva do pescoço de Alec e inalou o cheiro dele. O braço de Alec contornou as costas de Magnus, acariciando uma omoplata. Magnus deu um beijo na parte de baixo da mandíbula de Alec e esfregou sua bochecha levemente contra o arranhão áspero da barba de dois dias de Alec. Ele sentiu Alec respirar estremecendo.

"Venha me abraçar," sussurrou Alec. "Eu quero você perto de mim."

Magnus olhou para ele. Os olhos de Alec estavam fechados e ele estava respirando profundamente.

Venha me abraçar. Eu quero você perto de mim. Talvez fosse mais fácil para Alec dizer coisas desse tipo quando estava meio adormecido. Não havia ocorrido a Magnus que Alec pudesse se sentir constrangido, dizendo coisas desse tipo. Ele pensou que Alec não queria dizê-los.

Magnus fez como solicitado e enrolou seu corpo em torno de Alec. Suas pernas emaranhadas juntas. Magnus traçou um dedo indicador através da bochecha de Alec até a boca. Os cílios de Alec eram compridos, grossos e escuros, curvando-se para tocar o topo de suas maçãs do rosto. Seus lábios estavam cheios e macios, seu cabelo era uma seda preta áspera. Ele parecia vulnerável de uma forma que era difícil de enquadrar, às vezes, com o guerreiro de olhos frios e flecha que ele se tornava em batalha...

Teaser #20

Enquanto eles caminhavam de volta para o carro, Magnus olhou para Alec e jogou as chaves de uma mão para a outra.

"Nós vamos mais rápido se nós dois dividirmos a direção," Alec ofereceu esperançosamente.

"Já dirigiu um carro com câmbio manual antes?"

Alec hesitou. “Não pode ser mais difícil do que atirar com o arco um flecha enquanto monta um cavalo a galope.”

"Definitivamente não é," disse Magnus. "Além disso, você tem reflexos sobre-humanos. O que de pior que poderia acontecer?"

Ele jogou as chaves para Alec e se sentou no banco do passageiro com um sorriso. Alec sorriu e correu para o banco do motorista.

Magnus sugeriu algumas voltas de prática no estacionamento.

"Você precisa levantar o pé esquerdo enquanto acelera com o pé direito," disse ele. Alec olhou para ele.

"Oh, não!" disse ele secamente. "Eu tenho que mover os dois pés ao mesmo tempo. Como minha agilidade pode lidar com essas exigências?" Ele se virou, acelerou e foi recompensado com um barulho estridente, como uma banshee em uma armadilha. Magnus sorriu, mas não disse nada.

Logo, é claro, Alec estava manobrando com competência suficiente em torno do estacionamento.

"Pronto para levar o show na estrada?" Magnus perguntou.

Alec só respondeu com um sorriso quando ele saiu do estacionamento. Um grito de prazer e surpresa escapou de sua garganta enquanto o Maserati corria pela rua estreita. Eles se viraram imediatamente e Alec acelerou mais ainda.

"Estamos indo muito rápido," disse Shinyun. "Por que estamos indo tão rápido?"

O grunhido baixo e amigável do pequeno conversível vermelho encheu o ar. Alec olhou rapidamente de lado para ver Magnus colocar os óculos de sol e apoiar o cotovelo na porta enquanto se inclinava para o lado e sorria para o vento em seu rosto.

Alec estava feliz por poder dar um tempo a Magnus. Além disso, ele não tinha percebido que esse tipo de direção selvagem e dramática era possível para ele. Quando ele pensava em carros, pensava em Manhattan: muitos veículos, sem ruas suficientes, avançando lentamente e infelizes pelas veias da cidade. Lá, estar a pé era libertador. Aqui, na zona rural da Toscana, porém, esse carro era seu tipo de libertação, um tipo emocionante. Ele olhou para seu namorado insuportavelmente bonito, o cabelo para trás e os olhos fechados atrás de suas sombras. Às vezes, sua vida era boa. Ele intencionalmente ignorou a mal-humorada feiticeira no banco de trás.

Durante a hora seguinte, eles seguiram a cordilheira dos Apeninos até o coração da Toscana. À sua esquerda havia campos dourados encharcados pelo sol que se estendiam até o horizonte, e à sua direita havia filas de mansões de pedra nos topos das colinas que davam para um mar verde de vinhedos. Ciprestes sussurravam ao vento.

Já era noite escura quando chegaram ao que Magnus disse se chamar as montanhas do Chianti. Alec não olhou. Se sentia bastante confiante em lidar com a Maserati, mas administrar um câmbio ao longo das muitas curvas enquanto dirigia perto da beira de um penhasco no escuro era uma experiência completamente diferente e existencialmente ameaçadora.

O que tornava a situação ainda mais angustiante era que os faróis lhes davam apenas alguns metros de visibilidade, de modo que tudo o que podiam ver eram um trecho estreito da estrada na frente, a encosta da montanha e a borda do penhasco que levava ao céu aberto. Apenas uma dessas opções era boa.

Alec conseguiu reduzir a velocidade corretamente nas primeiras curvas, mas o suor começou a arder seus olhos.

"Você está bem?" Magnus perguntou.

"Estou ótimo," disse Alec rapidamente.

Ele lutou contra demônios para viver. Isso era dirigir, uma coisa que até os mundanos faziam sem nenhum talento incomum ou runas que melhorassem os sentidos. Tudo o que ele tinha que fazer era se focar.

Ele estava segurando o volante com muita força, e ele sacudia o câmbio toda vez que ele tinha que trocar a marcha em uma curva difícil.

Alec calculou mal uma curva particularmente difícil que fez o carro sair de controle. Ele tentou acelerar, mas acabou pisando no freio, fazendo com que eles descessem girando por uma ladeira.

A vista diante deles não era uma visão bem-vinda. Isso significava que eles estavam indo direto para um penhasco.

Alec esticou um braço para proteger Magnus e Magnus agarrou seu braço. Alec já havia sentido essa estranha sensação de conexão uma vez antes, em um navio em águas turbulentas: Magnus procurando por ele, precisando de sua força. Ele girou a mão sob a mão de Magnus e entrelaçou os dedos, sentindo nada além do quente e forte impulso de o alcançar.

O carro tinha acabado de derrapar da estrada e mergulhado pro lado quando parou de repente, as duas rodas dianteiras girando não tocando nada além do ar e magia azul suave. O carro pairou por um momento e então se endireitou, e rolou de volta para o caminho estreito de terra ao lado da estrada.

"Eu disse que estávamos indo rápido demais," disse Shinyun suavemente do banco de trás.

Alec segurou rápido a mão de Magnus, a sua própria contra o peito de Magnus. O coração de um feiticeiro é diferente do de um ser humano. O batimento cardíaco de Magnus era uma garantia no escuro. Alec já sabia bem disso.

"É apenas um pequeno penhasco," disse Magnus. "Nada que não podemos lidar."

Alec e Magnus saíram do carro. Magnus abriu os braços como se fosse abraçar o céu noturno. Alec caminhou até a borda do penhasco e olhou para baixo, assobiando pela longa e dura queda até a ravina. Ele olhou para o lado para uma pequena trilha de terra que levava a uma clareira que se projetava do penhasco. Ele acenou para Magnus. “É muito perigoso dirigir à noite. Talvez devêssemos ficar aqui.”

Magnus olhou em volta. "Apenas… Aqui?"

"Acampar pode ser divertido," disse Alec. "Nós podemos tostar marshmallows. Você precisaria invocar suprimentos de algum lugar, é claro." Shinyun tinha saído do carro e estava vindo para se juntar a eles. “Deixe-me adivinhar“, disse ela a Magnus em tom monótono. "Querida, sua ideia de acampar é quando o hotel não tem um frigobar." Magnus piscou para ela.

"Eu te derrotei com essa piada," Shinyun o informou.

Magnus levantou os olhos para o céu noturno. Alec podia ver a curva prateada de uma lua crescente refletida no dourado de seus olhos. Combinava com a súbita curva do sorriso de Magnus.

"Tudo bem," disse Magnus. "Vamos nos divertir."

Teaser #21

"Pare de me dizer para deixar você ir... Se você cair, eu quero cair com você."

Teaser #22

"Eu não posso negar ser um menino travesso no sentido mais geral," admitiu Magnus. "Glória e destruição, no entanto, não são meu estilo. O boato é totalmente infundado."

Galeria

Capas

Arte

Conteúdo Especial

  • Edição especial exclusiva britânica em capa dura da Waterstones: A capa desta edição é coberta com runas de amor. Ele contém um trecho sobre como Magnus e Catarina se conheceram.[35]
  • Mala direta exclusiva:[36] Aqueles que compraram o livro através de sua mala direta receberam uma carta exclusiva que Magnus escreveu para Alec, supostamente entregue com o caderno de histórias que ele deu a Alec em Cidade do Fogo Celestial. A carta está escrita em um papel timbrado com o monograma de Magnus e o envelope em que ela estava tem seu lacre de cera azul.

Curiosidades

  • O título é uma referência aos Pergaminhos Vermelhos da Magia.
  • A capa apresenta Magnus Bane e Alec Lightwood com Paris ao fundo.
  • O livro é contado a partir dos pontos de vista de Magnus, Alec e Shinyun.
  • O livro é ambientado em Paris, Veneza, Roma, Nova York e Coréia, com os títulos das três partes e epílogo do livro correspondente a cada local.
  • As pessoas que doaram U$10 para o Worldbuilders '2016 Fundraiser terão a chance de ter seu nome usado como um personagem no livro.[37] O(s) ganhador(es) ainda será/serão anunciado(s).
  • Os Pergaminhos Vermelhos da Magia estava inicialmente definido como o terceiro e último livro da trilogia antes de Cassandra Clare decidir trocar a ordem dos títulos da série.[38]

Referências

  1. 1,0 1,1 The Red Scrolls of Magic | Simon & Schuster
  2. 2,0 2,1 The Red Scrolls of Magic na Amazon.com.br
  3. http://cassandraclare.tumblr.com/post/160240628174/tec-questions EUA-UK icone
  4. http://cassandraclare.tumblr.com/post/162185076604/hi-cassie-i-have-a-important-question-its EUA-UK icone
  5. http://cassandraclare.tumblr.com/post/162185076604/hi-cassie-i-have-a-important-question-its EUA-UK icone
  6. http://cassandraclare.tumblr.com/post/158160763554/hello-cassie-i-adore-your-books-and-i-read-them EUA-UK icone
  7. 7,0 7,1 7,2 https://www.youtube.com/watch?v=IfnITX7i8eo
  8. 8,0 8,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/171542944679/hi-cassie-i-was-wondering-what-sort-of-a-role EUA-UK icone
  9. 9,0 9,1 9,2 A Terra Que Perdi
  10. 10,0 10,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/181502603269/q-raphael-tec
  11. 11,0 11,1 11,2 http://cassandraclare.tumblr.com/post/159325094459/hi-cassie-how-are-you-i-love-malec-a-lot-and-i
  12. 12,0 12,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/172558965774/hello-cassie-will-tessa-jem-and-will EUA-UK icone
  13. 13,0 13,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/162283915484/qa-jem-and-emma EUA-UK icone
  14. 14,0 14,1 14,2 https://mailchi.mp/cassandraclare/jan2018-red-scrolls-excerpt EUA-UK icone
  15. 15,0 15,1 15,2 http://cassandraclare.tumblr.com/post/172412598599/hi-will-we-ever-know-more-about-lilys-life EUA-UK icone
  16. 16,0 16,1 16,2 16,3 16,4 16,5 http://ew.com/books/2018/06/13/cassandra-clare-eldest-curses-preview/ EUA-UK icone
  17. 17,0 17,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/176558221544/qa-tlh-tec
  18. http://cassandraclare.tumblr.com/post/159043307834/hi-cassie-first-of-all-i-want-to-thank-you-for EUA-UK icone
  19. https://tmisource.com/2016/11/03/exclusive-cassandra-clare-reveals-titles-of-magnus-bane-series-and-more/
  20. https://twitter.com/cassieclare/status/800017641876455424 EUA-UK icone
  21. http://cassandraclare.tumblr.com/post/159140925959/hey-cassie-i-cant-wait-until-lord-of-shadows EUA-UK icone
  22. 22,0 22,1 22,2 https://us14.campaign-archive.com/?u=4d3d48f0c0279df4622b2cfd7&id=0c72c0287a
  23. http://cassandraclare.tumblr.com/post/159664344729/will-we-see-more-of-the-spiral-labyrinth-in-any-of EUA-UK icone
  24. http://sarahreesbrennan.tumblr.com/post/179192662562/do-we-know-who-the-hot-blonde-is-that-lily-made EUA-UK icone
  25. Rainha do Ar e da Escuridão
  26. http://cassandraclare.tumblr.com/post/158754705314/hey-first-i-want-to-say-that-i-am-a-huge-fan-and EUA-UK icone
  27. http://cassandraclare.tumblr.com/post/175610898259/qa-tlh-tec EUA-UK icone
  28. http://cassandraclare.tumblr.com/post/174854214509/more-eet-and-gotsm-questions EUA-UK icone
  29. http://cassandraclare.tumblr.com/post/182561444204/a-nice-review-of-red-scrolls
  30. 30,0 30,1 http://cassandraclare.tumblr.com/post/175242347639/red-scrolls-and-cowriting
  31. https://www.pscp.tv/w/1lDGLazEkeZJm
  32. http://cassandraclare.tumblr.com/post/175342752159/lots-of-love-from-sunny-britain-i-love-helen-and EUA-UK icone
  33. https://cassandraclare.tumblr.com/post/178014151814/you-are-loved-this-is-the-best-message-for-alec EUA-UK icone
  34. https://cassandraclare.tumblr.com/post/180150502784/does-aline-want-to-follow-her-mothers-footsteps EUA-UK icone
  35. https://www.instagram.com/p/BtyojUOFO4A/
  36. a confirmar
  37. https://crowdspire.org/campaign/shadowhunters
  38. "... mas quando escrevemos os livros, descobriu-se que era um título melhor para o segundo livro, por isso mudou. Isso não significa nada para o enredo ou a história ou os personagens." Cassandra Clare no Tumblr EUA-UK icone
Crônicas dos Caçadores de Sombras de Cassandra Clare
Os Instrumentos Mortais
Cidade dos Ossos Cidade das Cinzas Cidade de Vidro
Cidade dos Anjos Caídos Cidade das Almas Perdidas Cidade do Fogo Celestial
As Peças Infernais Os Artifícios das Trevas
Anjo Mecânico Dama da Meia-Noite
Príncipe Mecânico Senhor das Sombras
Princesa Mecânica Rainha do Ar e da Escuridão
As Últimas Horas As Maldições Ancestrais
Corrente de Ouro Os Pergaminhos Vermelhos da Magia
Corrente de Espinhos O Livro Branco Perdido
Corrente de Ferro O Volume Negro dos Mortos
As Crônicas de Bane
O Que Realmente Aconteceu No Peru Salvando Raphael Santiago
A Rainha Fugitiva A Queda do Hotel Dumort
Vampiros, Bolinhos e Edmund Herondale O Que Comprar Para o Caçador de Sombras...
O Herdeiro da Meia-Noite A Última Batalha do Instituto de Nova York
Ascensão do Hotel Dumort Os Rumos do Amor Verdadeiro
Contos da Academia dos Caçadores de Sombras
Bem-Vindo à Academia dos Caçadores de Sombras Reis e Príncipes Pálidos
O Herondale Perdido Língua Afiada
O Demônio de Whitechapel O Teste de Fogo
Nada Além de Sombras Nascido Para a Noite Sem Fim
O Mal Que Amamos Anjos Que Caem Duas Vezes
Fantasmas do Mercado das Sombras: Uma Antologia de Contos
Filho do Amanhecer Os Perversos
Longas Sombras A Terra Que Perdi
Todas as Coisas Extraordinárias Através do Sangue, Através do Fogo
Aprendendo Sobre Perdas O Mundo Perdido
Um Amor Mais Profundo Para Sempre Caído
Próximos
Os Poderes Perversos
Livros Complementares
O Códex dos Caçadores de Sombras
Uma História de Notáveis Caçadores de Sombras e Seres do Submundo
The Official Mortal Instruments Coloring Book
Adaptações
City of Bones: The Graphic Novel
Graphic novels de Os Instrumentos Mortais
As Peças Infernais (Mangá)
Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos
Shadowhunters: The Mortal Instruments
Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.