FANDOM


ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo a seguir. Aconselhamos atenção!
Você tem suas Leis, e nós temos as nossas. A diferença é que nós não fingimos que a nossa não é cruel.

–Gwyn para Julian Blackthorn, Dama da Meia-Noite

Gwyn ap Nudd é o líder da Caçada Selvagem e uma figura mitológica galesa.

História

A Caçada

Gwyn liderou a Caçada Selvagem por séculos. Como líder da Caçada, foi seu sangue que novos recrutas foram forçados a beber como parte de sua iniciação.[1]

Guerra Maligna

Após o sequestro do metade-Caçador de Sombras metade-fada Mark Blackthorn, ele foi entregue a Gwyn. Ele então reivindicou o menino e fez dele um Caçador. Visto como um presente da Rainha da Corte Seelie e Sebastian Morgenstern, Gwyn ap Nudd se encontrou com a Rainha para retornar rapidamente o favor.

Quando perguntado sobre a reunião dos mortos de uma recente batalha na Cidadela Adamant, Gwyn disse-lhe que eles não queriam se envolver na batalha dos Nephilim e os Crepusculares, os anjos e os demônios, muito para a decepção da Rainha. Quando a rainha pediu seu conselho e auxílio na batalha como uma compensação pelo menino, que era aparentemente raro e poderia infundir medo entre os demônios, Gwyn insistiu que ele não precisava do menino para causar medo e que o menino não era valioso o suficiente para fazê-lo arriscar se envolver com a guerra. Então, em vez disso, a rainha apenas pediu-lhe para que os Caçadores reunissem os mortos após a batalha em Alicante, e Gwyn hesitantemente concordou. Eles foram interrompidos pelo cavaleiro da rainha Meliorn, e ele partiu.[2]

A Loteria

Quando fadas começaram a ser assassinadas por um grupo então não identificado, os assassinatos ligados a uma série de mortes mundanas, a Corte Unseelie iniciou uma investigação sobre isso. Iarlath conseguiu convencer alguém de poder para deixar Gwyn ceder um de seus caçadores, Mark Blackthorn, de volta a sua família para fazer os Caçadores de Sombras secretamente investigar por eles, apesar da Paz Fria.

Durante uma conversa com Cristina Rosales, Mark mencionou casualmente a fraqueza de Gwyn – seu manto – um segredo que Mark, como membro da Caçada, não podia divulgar a ninguém. Seu amante fada, Kieran, ouviu isso e, tentando recuperá-lo, disse a Iarlath. Gwyn, Iarlath e Kieran vieram ao Instituto pouco depois para sua punição: vinte chicotadas. Gwyn expressou o seu arrependimento pela natureza de sua visita, mas explicou que era necessário porque Mark quebrou uma das suas leis mais antigas.

Por toda parte, Gwyn permaneceu paciente quando os Caçadores de Sombras continuaram a se opor as chicotadas e quando Julian se ofereceu no lugar de Mark. Quando a parabatai de Julian, Emma sentiu a dor que ele experimentava, Gwyn entendeu e silenciou Iarlath quando ele se queixou dos gritos de Emma. Gwyn ordenou que Iarlath parasse e permitiu que Emma curasse Julian, e ficou visivelmente triste quando Emma, depois de nocautear Jules com uma runa, insistiu em levar as chicotadas ela mesma.[1]

Conhecendo Diana Wrayburn

Poucas semanas após a derrota de Malcolm Fade, Gwyn viajou para o Instituto de Los Angeles sozinho para dizer a Mark que Kieran iria ser executado pelo assassinato de Iarlath. Ele pediu a Mark para viajar para a Corte Unseelie e resgatar Kieran, uma vez que ele e a Caçada Selvagem haviam jurado não interferir. Gwyn ficou profundamente decepcionado e ligeiramente irritado quando Mark recusou, citando a traição de Kieran como uma razão pela qual ele não devia nada a Kieran. Antes de partir, Gwyn, visivelmente encantado por Diana Wrayburn, jogou uma bolota para ela como uma forma de convocá-lo.

Mais tarde, na Corte Seelie, Gwyn chegou para levar os Caçadores de Sombras para os Blackthorn no Instituto de Londres. Ele estava feliz com Mark por salvar Kieran e olhou para ele com orgulho. No Instituto de Londres, Gwyn e o grupo de Faerie foram atendidos pelos Blackthorn e Diana. Gwyn flertou nervosamente com Diana e pediu para cortejá-la – para o choque de todos ao seu redor – sugerindo alguns passatempos feéricos. Diana recusou educadamente suas ofertas e sugeriu um jantar normal em vez disso, deleitando Gwyn e ganhando uma rodada de aplausos dos Blackthorn.

Gwyn mais tarde visitou Diana em seu apartamento em Idris e levou-a para um piquenique na Floresta Brocelind. Eles se divertiram, encontrando-se fácil de conversar, mas o piquenique foi interrompido quando Diana notou uma praga no centro da floresta.

Quando o Rei Unseelie enviou os Sete Cavaleiros atrás dos Blackthorn, Mark usou a bolota de Diana para convocar Gwyn e pedir-lhe para encontrar seus irmãos, que estavam em algum lugar em Londres e inseguros. Gwyn ficou irritado por que a bolota havia sido usada por Mark, mas prometeu tentar depois de um pouco de incentivo e elogios. Juntamente com Diana, ele conseguiu encontrar e resgatar Ty, Livvy, Kit dos Caçadores, e voltou com Diana para Alicante.

Diana atou suas feridas recebidas dos Cavaleiros e ele questionou sua falta de vontade de dirigir o Instituto de Los Angeles. Ela explicou que uma entrevista era necessária para se tornar uma diretora e revelou a Gwyn seu maior segredo, que ela nasceu David Wrayburn e usou medicamentos mundanos para mudar seu gênero. Gwyn chamou Diana da mulher mais corajosa que ele já conheceu e pediu para abracá-la, o que ela permitiu.[3]

O relacionamento de Diana e Gwyn começou a crescer a partir daí. Eles começaram a se encontrar regularmente no mesmo local da floresta, embora ele normalmente a pegasse na janela dela. Em uma dessas reuniões, Diana perguntou qual era o nome de seu cavalo e depois ofereceu lhe dar o nome de Orion. Gwyn ficou satisfeito por ter um cavalo nomeado por ela. Diana até começou a ensinar-lhe coisas do mundo moderno: como por que é errado ter crianças de 8 anos na Caçada e nas batalhas.

Em uma de suas reuniões, a Consulesa Jia Penhallow juntou-se a eles para discutir o que havia acontecido com Julian e Emma. Durante esta reunião, a Tropa chegou para prendê-las por conspirar com Seres do Submundo. Gwyn jogou o machado neles, percebendo-os como uma ameaça e não como crianças, e assustando Anush Joshi. Diana então pediu-lhe rapidamente para sair e, relutantemente, ele saiu. Diana foi levada para se encontrar com Horace Dearborn após sua prisão, onde ela tentou fugir pela janela e por cima dos telhados. Felizmente, Gwyn ficou por perto e a alcançou; a dupla foi ao Instituto de Los Angeles para contar o que estava acontecendo antes de saírem para se esconder sozinhos.

Gwyn logo foi solicitado – como um favor, por Kieran – a coletar água do Lago Lyn e distribuí-la, com a ajuda do resto da Caçada, a feiticeiros em todo o mundo e as manchas conhecidas da praga para curá-las. Ao retornar, Gwyn sugeriu que Kieran tomasse o trono Unseelie de seu irmão Oban, que havia roubado a reivindicação. Embora Kieran negasse pedido, mais tarde ele chegou a concordar com ele.

No dia seguinte, Gwyn foi chamado por Diana para participar do conselho de guerra de Julian e ele e a Caçada se juntaram à Vigilância de Livia. Na negociação da Tropa, ele voou principalmente baixo, com Diana nas costas de Orion, cortando os inimigos abaixo. Depois que Oban foi morto, ele e Diana começaram a espalhar a mensagem no combate de que Kieran era agora o rei Unseelie. Mais tarde, depois que Julian e Emma se levantaram como Verdadeiros Nephilim, Gwyn ajudou a limpar o caminho para os Blackthorn ficarem diante deles e tentar acalmá-los.

Algumas semanas depois, ele foi a uma festa na praia que se tornou a cerimônia de casamento de Magnus Bane e Alec Lightwood. Ele e Diana sentavam-se principalmente de lado, abraçados na capa dele que estava sendo usada como manta de praia, expressando sentimentos de felicidade e amor.[4]

Personalidade

Ao contrário de muitos de sua espécie, Gwyn é honroso, gentil, compassivo e charmoso.[1] No entanto, ele ainda é capaz de ser cruel, conforme exigido por sua posição, especialmente com seus Caçadores.[2][1] Gwyn também é um pouco distante de seus guerreiros e tem intenções misteriosas.[5] Um lado um pouco secreto de Gwyn é ser romântico; Gwyn formou suas próprias noções sobre o amor em sua longa vida, apesar de ser um pouco desajeitado em sua abordagem.[3]

Descrição Física

Gwyn é um homem grande e largo com um queixo quadrado e barbudo, maçãs do rosto largas, olhos arregalados e sobrancelhas malvadas. Como é típico dos membros da Caçada Selvagem, ele também tem heterocromia; um de seus olhos é preto e o outro é de um azul muito claro.

Pertences

  • Capa: Gwyn possui uma capa que, se roubada, poderia forçá-lo a atribuir autoridade a quem roubasse.
  • Chifre de Caça: Gwyn soa seu chifre para anunciar sua chegada.
  • Orion: Gwyn monta um corcel feérico cinzento cujo nome foi dado por Diana Wrayburn.

Aparições

Galeria

Curiosidades

  • O personagem é baseado em uma figura mitológica celta, Gwyn ap Nudd, que é um Psicopompo e governante do Outro Mundo, ou o Submundo galês. É associado frequentemente à caçada selvagem e é listado como um de seus muitos líderes, particularmente em Gales.

Referências

Fadas
Adaon | Aeval | Airmed † | Arabella | Arawn † | Ash Morgenstern | Auraline † | Celithe | Delan † | Eochaid † | Erec † | Etarlam † | Ethna † | Fal † | Fergus |Guardião do Portão de Lir | Gwyn ap Nudd | Hefeydd | Helen Blackthorn | Hyacinth | Iarlath † | Kaelie Whitewillow † | Karn † | Kieran | Kit Herondale | Mãe Hawthorn | Mark Blackthorn | Meliorn † | Mordecai | Nene | Nerissa † | Oban † | Rainha Seelie | Richard | Rosemary † | Sallows † | Winter
Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.