Wikia Shadowhunters BR
Advertisement
Wikia Shadowhunters BR
Outras versões
ALERTA DE SPOILER: Detalhes do enredo de O Livro Branco Perdido a seguir. Aconselhamos atenção!

E quando um dia as pessoas olharem para trás e pensarem no que significou minha vida, não quero que digam “Alec Lightwood lutou na Guerra Maligna”, nem mesmo “Alec Lightwood foi Cônsul”. Quero que pensem “Alec Lightwood amou tanto um homem que mudou o mundo por ele”.

–Alec para Magnus, Rainha do Ar e da Escuridão

Alexander "Alec" Gideon Lightwood-Bane, ou simplesmente conhecido como Alec Lightwood é um Caçador de Sombras e o atual Cônsul da Clave. Ele é o marido de Magnus Bane, é o pai adotivo de Rafael e Max Lightwood-Bane, e é o irmão mais velho de Isabelle e Max, assim como o irmão adotivo e parabatai de Jace Herondale.

Alec é um dos poucos Caçadores de Sombras abertamente gay. Uma vez que os Caçadores de Sombras homossexuais são normalmente evitados pela Clave, Alec estava cético sobre se assumir, mas ele eventualmente revelou para sua família, amigos e alguns companheiros Caçadores de Sombras seu relacionamento com o feiticeiro Magnus Bane, em um ato que inspirou outros Caçadores de Sombras a assumirem sua sexualidade também. Ao longo do caminho, Alec também superou sua criação um tanto preconceituosa e agora é um dos fundadores da Aliança entre Caçadores de Sombras e Submundo.

Biografia

Vida Pregressa

Alexander Gideon Lightwood é o filho mais velho de Robert e Maryse Lightwood. Nascido em Idris em 12 de Setembro de 1989,[3] Alec foi, juntamente com os seus pais, exilado de sua terra natal e proibido de voltar, a não ser em missão oficial de Caçador de Sombras. Seus pais foram enviados para comandar o Instituto de Nova York, onde ele cresceria. Dois anos após seu nascimento, sua irmã, Isabelle, nasceu, e o seu irmão mais novo, Max, nasceu quando ele tinha nove anos.

Alec começou a lutar com sua sexualidade ainda jovem. Ele teria uma atração por outros homens, seus olhares não passando despercebidos por sua irmã. Quando tinha onze anos, Alec desenvolveu uma pequena paixão pelo vampiro Raphael Santiago quando o viu pela primeira vez no Instituto.[4] Pouco depois, Jace Wayland, o afilhado de seu pai, cujo pai aparentemente acabara de falecer, foi adotado em sua família. Alec desenvolveu uma atração quase instantânea e mais tarde um relacionamento com Jace e eles logo se tornaram amigos muito próximos. Eventualmente, eles se tornaram parabatai. Alec também desenvolveu sentimentos por Jace, embora, por causa da posição da Clave sobre a homossexualidade, ele permaneceu no armário, com sua irmã, Isabelle, sendo a única pessoa que secretamente sabia sobre isso.

O Retorno de Valentim

Uma noite, em agosto de 2007, Alec estava patrulhando pelo Clube Pandemônio em busca de demônios com Isabelle e Jace. Enquanto confrontavam um que haviam capturado, foram vistos por algo que inicialmente acreditaram ser uma mundana que possuía a Visão, que, mais tarde, foi revelada como sendo uma Caçadora de Sombras, Clary Fray.

Alec instantaneamente não gostou de Clary e de seu amigo mundano, Simon, e não estava disposto a confiar neles, muito menos quando percebeu que Jace parecia tão absorto e até mesmo atraído por Clary. Alec ficou com inveja de Clary e da atenção que Jace lhe dava. Ele a confrontou várias vezes sobre ser um problema para Jace e todos em geral, sem nenhum efeito. Entretanto, apesar de suas reservas, ambos Alec e Izzy ajudaram Jace e Clary em sua investigação sobre o desaparecimento da mãe da garota.

Ao seguir uma pista, Alec e os outros compareceram a uma festa dada pelo Alto Feiticeiro do Brooklyn, Magnus Bane, que flertou abertamente com ele, que, então, acompanhou Jace, Isabelle, Clary e Simon para recuperar o Cálice Mortal. Em uma luta contra o Demônio Maior Abbadon, Alec foi gravemente ferido. Com seu tutor, Hodge, incapaz de tratá-lo, ele contactou Magnus Bane antes de abandonar os garotos. Magnus, por sua vez, conseguiu salvá-lo, e ficou com ele até que se recuperasse. Durante o tempo em que Alec ficou inconsciente e recuperando-se, Valentim Morgenstern finalmente se revelou, e seu mentor, Hodge, foi revelado como sendo aliado a ele. Através de Valentim, ele pode escapar de sua maldição e imediatamente abandonou o Instituto.[5]

Ao ouvir sobre o que Magnus fizera por ele, Alec foi até seu apartamento agradecê-lo. Após confirmar a atração de Magnus por ele e criar coragem, ele o convidou para sair. Então, Magnus deu-lhe seu primeiro beijo e concordou em ir a um encontro com ele.[6] Embora seu primeiro encontro não tenha começado realmente bem, eles conseguiram ajeitar as coisas no fim.[7] O novo casal continuou, então, a ver-se secretamente.

Destemor

Por semanas, os jovens Caçadores de Sombras foram deixados sem supervisão de adultos devido à saída de Hodge. Eles foram a caçadas aos demônios sem instruções ou conselhos, algo sobre o que Alec e Isabelle estavam inicialmente céticos, particularmente porque Jace estivera sendo inconfiavelmente imprudente em virtude dos recentes choques em sua vida. Eventualmente, sua família retornou de Alicante, e imediatamente precisou lidar com a repercussão de saber quem Jace realmente era: o filho de Valentim.

Feridos e confusos pela revelação, seus pais permitiram que a vingativa Inquisidora Herondale o investigasse, porque outros membros da Clave suspeitavam que ele pudesse estar aliado a Valentim. Nas semanas seguintes, Alec e os outros tentaram ajudar a limpar o nome de Jace.

Nesse meio-tempo, Alec tentou manter seu relacionamento com Magnus em segredo, apesar de o fato rapidamente se tornar óbvio para seus amigos. Em um determinado ponto, enquanto discutiam a habilidade única de Clary de, aparentemente, criar runas, ele voluntariou-se para testar uma runa que ela criara e fora sugerida por Jace, chamada "Destemor", cujo objetivo era retirar do portador qualquer medo de qualquer coisa temporariamente. A runa se provou efetiva, e Alec, quase destemidamente, foi até seus pais e disse-lhes sobre seu relacionamento com Magnus. Magnus, entretanto, ajudou-o a escapar de seu torpor com magia, não desejando que Alec se arrependesse de sua decisão descontrolada mais tarde.

Quando a Inquisidora levou Jace, Alec fingiu concordar com sua decisão — para o desgosto tanto de Isabelle quanto de Max — a fim de ganhar sua confiança. Na noite anterior à transferência de Jace para Idris, ele foi aprisionado pela Inquisidora em uma Configuração Malachi, e, quando as habilidades até então ocultas de Jace o tiraram da armadilha, Alec o ajudou e deixou claro de que lado estava.

Enquanto Jace ia para o navio de Valentim com Magnus e Luke, Alec e Izzy ficaram para trás para darem-lhe cobertura com a inquisidora. Isabelle insistiu em assistir a barganha entre a Inquisidora e Valentim, e foi, consequentemente, testemunha de Valentim reclinando sua oferta de salvar Jace, bem como a reação surpresa da Inquisidora à sua decisão. Maryse ordenou que a Inquisidora libertasse Jace, e, percebendo que havia prendido uma criança inocente, ela estava prestes a concordar, até que Alec lhe disse que ele já havia escapado, e estava a caminho de Valentim. No entanto, o grupo chamou por ajuda e se preparou para invadir o navio.

Uma vez a bordo do navio, Alec se juntou a Jace na batalha contra os demônios. Em um momento, um demônio atirou Alec do deck. Ele foi resgatado por um Magnus enfraquecido a quem Alec decidiu ficar com, oferecendo sua força para que ele se restabelecesse.[8]

A Guerra Mortal

Algum tempo depois da batalha no barco, Alec e o resto dos Lightwood viajaram para Idris, permanecendo na casa dos amigos da família, os Penhallow, para a assinatura dos Nonos Acordos. Quando Simon foi inadvertidamente levado para Idris com eles devido a um ataque de Renegados, Alec levou Simon para o Cônsul Malaquias Dieudonné sob a impressão de ele seria enviado de volta para Nova Iorque. Assim como Jace suspeitou, no entanto, Simon foi em vez entregue e preso pelo Inquisidor Aldertree na Garde, e Alec descobre através de Magnus. Em algum momento durante isto, Jace confrontou Alec sobre seu relacionamento com Magnus e seus sentimentos por ele, convencendo-o de que ele não estava apaixonado por Jace depois de tudo.

Quando o exército demônios de Valentine começam a se infiltrar na cidade, Alec foi à procura de Aline Penhallow depois de seu encontro com um demônio. Em vez disso, Alec encontrou Magnus lutando contra uma horda de demônios Iblis em Cistern Square e ajudou-o, e os dois discutem sua relação, com Alec prometendo apresentá-lo para sua família se eles sobrevivessem. Mais tarde no Salão dos Acordos, Alec estava furioso por ver o primo dos Penhallow Sebastian Verlac lá, depois de ter deixado Isabelle e Max junto dele para encontrar Aline, pensando que Sebastian deixou seus irmãos sozinhos. Sebastian, no entanto, disse-lhes que seus pais tinham chegado e estavam com eles. Acreditando nele, Alec, Jace e Clary foram regastar Simon que estava preso.

Na Garde, eles libertaram Simon e encontraram o prisioneiro ao lado de sua cela que se apresentou para Simon como Samuel Blackburn. Eles descobriram que na verdade era Hodge, e Alec e Jace o confrontaram sobre suas mentiras e traições. Eles também aprenderam, embora não imediatamente, que o Espelho Mortal era em si o Lago Lyn, pouco antes de Sebastian chegar e matar Hodge. Durante o confronto que se seguiu, eles descobriram que Sebastian era um espião de Valentim. Eles tentaram envolvê-lo na batalha, mas Sebastian teve a vantagem e desapareceu.

O grupo voltou para o Salão dos Acordos, onde encontraram sua família de luto pela morte de Max pelas mãos de Sebastian – Revelado ser um impostor se passando pelo verdadeiro Sebastian. Maryse culpou os Penhallow pelo assassinato de Max pelas mãos de impostor na sua própria casa, embora Alec tenha entendido que não era culpa deles tentou levá-la a ver a razão. Sua família prontamente se mudou da casa dos Penhallow para uma residência recém-desocupada e realizaram o funeral de Max.

Em preparação para a batalha, Clary demonstrou sua capacidade de criação de runas, primeiro com uma runa que a fez aparecer como a pessoa mais amada por quem olhasse para ela, e Alec viu Magnus. Alec depois perguntou a Magnus se ele gostaria de usar a Runa de Aliança com ele, e no meio de todos desenhando runas uns nos outros, ele beijou Magnus em frente aos seus companheiros Caçadores de Sombras e Membros do Submundo, incluindo sua família e amigos, reconhecendo seu relacionamento publicamente e sem querer inspirando outros caçadores de sombras a também assumir sua sexualidade.[9] Com o resto dos Caçadores de Sombras adultos e seus aliados do submundo, eles foram para o Planície Brocelind e enfrentou o exército de Valentine. A batalha durou apenas alguns minutos e trouxe a vitória dos Caçadores de Sombras.[10]

Durante a batalha, Alec sentiu sua conexão parabatai com Jace se partir durante a breve morte do mesmo, mas quando ele viu Jace vivo e bem depois da batalha, ele se convenceu de que havia imaginado coisas.[9] Depois, Alec e sua família e amigos compareceram a festa da vitória na Praça do Anjo. Alec apresentou formalmente Magnus aos seus pais, Robert e Maryse, como seu namorado, e todo mundo de Alicante assistiu os fogos, saboreando a paz após a Guerra Mortal.[10]

Férias

A dinâmica mudou para Alec desde que ele se assumiu. As pessoas faziam comentários maliciosos, como Irina Cartwright casualmente dizendo a ele que ninguém herdaria seus olhos azuis, e Alec sentiu que algumas pessoas pararam de levá-lo a sério, especialmente nas reuniões do Conselho. Embora sua mãe tivesse pelo menos aceitado que ele era gay, ele sentiu que Robert não tinha e até perguntou a ele, para seu horror, o que ele achava que o havia "tornado" gay.[9]

Levando isso em consideração e os eventos da Guerra Mortal, Magnus decidiu que eles precisavam tirar férias. Magnus planejou uma viagem pela Europa para eles, sendo a primeira parada em Paris. No entanto, antes que eles pudessem realmente relaxar e aproveitar o tempo livre, sua viagem foi interrompida por uma missão do Conselho Espiral. Magnus foi encarregado de caçar e acabar com o culto conhecido como a Mão Escarlate, que Magnus havia fundado séculos antes, mas não tinha nenhuma lembrança.

Juntos, eles rastrearam o culto até seu antigo quartel-general em Veneza. Lá, eles descobriram que os rumores do envolvimento de Magnus em sua criação eram verdadeiros, e com a ajuda de um ex-membro, Shinyun Jung, eles foram capazes de recuperar o texto sagrado do culto: os Pergaminhos Vermelhos da Magia. Seguindo uma passagem do livro, eles viajaram para Roma na esperança de encontrar o novo ponto de encontro do culto, bem como algumas respostas sobre por que Magnus não se lembrava de tê-lo criado.

Uma vez em Roma, Alec decidiu que valeria a pena visitar o Instituto local para verificar se havia relatos de atividades de culto. Fora do Instituto, ele encontrou sua amiga Aline, que também estava fazendo uma pequena pausa após a guerra. Ele pediu a ajuda de Aline para entrar no Instituto para encontrar discretamente as informações que procurava. Ainda assim, Helen Blackthorn os notou e começou a interrogar Alec com perguntas sobre Magnus e sua viagem. Apesar da incapacidade de Alec de responder e contestar suas suspeitas, Helen, na esperança de pegar Magnus em flagrante, se ofereceu para participar da investigação de um ponto de encontro conhecido anterior da Mão Escarlate.

Alec, Aline, e Helen lutando contra demônios Cherufe.

Juntos, Aline, Helen e Alec foram para um ponto de encontro sobre o qual Shinyun havia falado. Enquanto esperava por eles aparecerem, Alec começou a juntar as peças e descobriu que Shinyun era a líder que eles estavam procurando. Quando eles tentaram sair, eles descobriram que estavam presos por demônios Cherufe. O trio finalmente escapou e rastreou Magnus até uma velha villa com o que parecia ser um tornado acima.

Eles encontraram Magnus em um palco no anfiteatro, ajoelhado com a cabeça abaixada em um pentagrama e com Shinyun apontando uma espada sobre ele na tentativa de invocar Asmodeus. No momento em que Alec abriu caminho através da multidão de cultistas para chegar até ele, Magnus havia desaparecido em uma luz brilhante. Asmodeus, falando através de um membro do culto, Bernard, mais tarde clareou a luz e desafiou Alec a distinguir o Magnus real entre centenas de cópias dele lutando contra centenas de Shinyuns. Olhando desesperadamente no início, Alec foi capaz de identificar Magnus como o único que hesitou em matar Shinyun. Alec atirou na respectiva Shinyun com uma flecha. Ele então deu a Magnus um pouco de sua força e Magnus usou esse poder para dissolver o pentagrama e enviar Asmodeus de volta para Edom.

Enquanto os Caçadores de Sombras de Roma enchiam a cena e o grupo se dividia para prender os cultistas restantes, Alec permaneceu com Shinyun amarrada. Alec começou a lutar com o que Magnus havia dito sobre ela, sobre o que ela tinha feito, e o que a Clave faria com ela. Escolhendo pegar uma página do livro de Magnus e mostrar gentileza, ele deixou Shinyun ir. Nos dias seguintes, o grupo deu seus relatórios oficiais à Clave e ao Labirinto Espiral; embora a história variasse um pouco dos eventos reais, eles conseguiram atingir o ponto principal, livrando seu pequeno grupo de qualquer culpa.

Magnus e Alec voltaram para o apartamento de Magnus, embora ainda demorassem algum tempo para voltar ao trabalho.[11] Eles optaram por dizer que ainda estavam de férias apesar de estarem em casa e até tiraram algumas fotos turísticas falsificadas, mostrando-as em Madrid, Berlim, Viena e Índia, para fazer parecer que ainda estavam de férias,[12] embora, na verdade, o casal tenha passado o resto das férias em casa e na cama.[11]

Camille e Lilith

A viagem deles foi interrompida quando a Clave exigiu o retorno de Magnus porque a vampira Camille Belcourt estava exigindo sua presença em seu interrogatório. Por causa de Camille, ex-namorada imortal de Magnus de um século atrás, Alec começou a ter dúvidas e inseguranças sobre sua curta vida em comparação com a imortalidade de Magnus, seus relacionamentos passados e as muitas coisas que ele não sabia sobre a sua vida.

O casal discutiu por dias, com Magnus constantemente se recusando a responder as perguntas de Alec sobre seu passado. Alec disse a Magnus que se sentia trivial para ele e que um dia, quando ele morresse ou partisse, acabaria se tornando um de seus amantes passados e Magnus facilmente encontraria outro, o que Magnus negou. Alec também perguntou a Magnus por que ele queria o Livro Branco e se perguntou se havia um feitiço de imortalidade nele.

Quando Camille escapou da custódia do Conclave, Alec e os outros procuraram por ela. Eles também descobriram que Simon tinha desaparecido. Durante a busca por Camille e Simon, eles foram levados para a Igreja de Talto, um culto adorando o Demônio Maior Lilith e sacrificando crianças a ela em suas tentativas de recriar outra criança meio-demônio como Sebastian. Eles mais tarde encontraram Simon e Lilith no telhado da igreja, bem como o cadáver preservado de Sebastian, a quem Lilith planejava ressuscitar alguma ajuda do pouco disposto Simon e Jace. No entanto, em uma batalha contra os seguidores de Lilith, Alec foi separado dos outros.

Depois de perseguir um cultista, Alec encontrou Camille. Ela admitiu para ele que estava sob as ordens de Lilith para matar os ex-membros do Ciclo, e que tinha sido o seu culto que havia libertado ela do Santuário do Instituto. Ela, então, explora a fraqueza de Alec para levá-lo a solta-lá, prometendo maneiras para que ele e Magnus possam ficar juntos para sempre. Tentado, Alec a livrou de suas correntes, mas apenas para levá-la de volta ao Instituto. No entanto, no momento de distração de Alec, ela conseguiu escapar.

Depois de Lilith ser destruída, Alec enviou uma mensagem de fogo para a Clave pedindo reforços. Eles brevemente deixaram um Jace sozinho e aparentemente chocado no telhado com o corpo de Sebastian. Magnus então chegou ao local com os membros do Conclave e o casal se reconciliou, apesar de Alec decidir não contar a Magnus sobre seu encontro com Camille.[12]

Time do Bem

O ritual que Lilith pessoalmente trabalhou e realizou, ressuscitou Sebastian com sucesso e ligou Sebastian a Jace, muito para a preocupação de seus amigos e família, especialmente depois de Jace e Sebastian sumirem pelo telhado da Igreja. Uma busca foi iniciada pela Cave, porém foi colocada em semanas de pausa depois para dar prioridade a fixação dos escudos da Ilha Wrangel. Apesar das dúvidas de alguns membros da Clave, Alec estava confiante de que Jace ainda estava vivo, embora ele soubesse que algo estava errado devido a um sentimento estranho vindo de sua ligação.

Por meio de Aline, ele e Isabelle descobriram que seu pai estava tentando a posição de Inquisidor. Apesar de surpreso e ferido, os irmãos entraram no ritmo dado o que eles tinham acabado de passar, e também porque Robert tinha se tornado ausente em suas vidas até então.

Com o grupo cada vez mais desesperado para descobrir sobre Jace, Alec e o resto concordam em seguir o plano de Clary para se encontrar com a Rainha Seelie e chegar a um acordo com ela, se necessário. O grupo desceu ao Central Park para entrar na Corte Seelie através dos sinos na posse de Clary. A rainha concordou em ajudá-los, em troca de um par de anéis encontrados no Instituto. Durante a reunião a rainha foi ofendida quando Alec e Simon fizeram uma piada dela. Ela coloca um encanto em Alec que o faz se sentir e parecer com um velho—Refletindo seu recente medo de envelhecer enquanto Magnus permanece jovem. Clary pediu desculpas em seu nome e a rainha retirou o encanto.

Chegando ao apartamento de Magnus mais tarde, onde um Magnus ocupado estava tentando descobrir o encanto de Lilith. Na manhã seguinte, Magnus acordou-o para lembrá-lo de sua reunião na lagoa da tartaruga no Central Park com sua imã e amigos. Alec de repente se sentiu inseguro, dizendo que ele parecia ser a coisa mais nova de seu apartamento. Ele perguntou-lhe sobre as iniciais “W.S.” em sua caixa de rapé— Dado a Magnus por um velho amigo— Que presumiu se referir ao Will do passado de Magnus que Camille havia mencionado antes. Quando Alec perguntou a ele sobre isso, ele começou uma discussão, onde Magnus ressaltou que a imortalidade estava se tornando a terceira pessoa em seu relacionamento. Alec deixou a discussão e o apartamento, apenas para ser recebido por um dos capangas de Camille, enviado por ela para marcar uma reunião com Alec.

Alec voltou a encontrar-se com os outros no Central Park, onde Clary falou falsamente que não conseguiu obter os anéis, mas que viu Jace e Sebastian na biblioteca do Instituto juntos. Ela disse a eles que Jace não parecia estar sendo mantido contra sua vontade e, na verdade, parecia íntimo com Sebastian, o que eles não podiam entender.

Alec então procedeu à sua reunião com Camille na estação de metrô abandonada da Prefeitura. Alec foi com a intenção de coletar informações de Camille, de sua promessa de contar-lhe um jeito em que ele e Magnus podem estar juntos sem a imortalidade do último entre eles em troca de ele deixá-la ir há algumas semanas antes. Quando Camille se recusou a dizer-lhe e pediu algo mais em troca, Alec a atacou e Camille lutou de volta. Ela finalmente admitiu que não havia como torná-lo imortal sem magia negra ou transformando-o em um vampiro, para seu aborrecimento, e que sua única opção era fazer Magnus mortal.

Pouco depois que Jace e Sebastian ressurgiram, desta vez na tentativa de levar Clary, durante o qual eles feriram fatalmente a Luke, o Irmão Zachariah informou a verdade ao grupo: que Jace e Sebastian estavam unidos por um ritual de geminação, em uma espécie de contrapartida demoníaca da conexão parabatai, o que envolveu sentir o que o outro sentia e morrer se o outro morresse, e que nenhuma arma no mundo que puderia cortar a conexão.

Apesar de seu argumento anterior, Magnus consolou Alec em seu momento de desespero, sabendo que Jace estava em perigo constante sem que ele percebesse isso e que ainda não havia uma maneira previsível de recuperá-lo.

O grupo decidiu que tentariam consultar as Irmãs de Ferro sobre uma arma que poderia separar o par. Enquanto Isabelle e Jocelyn, sendo mulheres e, portanto, as únicas bem-vindas na Cidadela Adamant, se encontraram com as Irmãs, Alec se afastou para se encontrar com Camille, interessado em saber mais sobre sua sugestão. Camille contou-lhe um feitiço que poderia livrar um feiticeiro de sua imortalidade, e que ela faria isso por ele em troca de matar Raphael.

Embora as Irmãs de Ferro não tivessem uma arma para eles, a viagem não foi totalmente inútil – elas aprenderam que, embora nenhuma arma na Terra possa fazer o que eles queriam, uma arma do Céu ou do Inferno poderia, então o grupo começou a considerar convocar um anjo ou um Demônio Maior. Porque convocar anjos era consideravelmente mais perigoso do que chamar demônios, eles decidiram convocar Azazel. Jocelyn não queria que ela e Clary se envolvessem e estavam prestes a sair quando Simon revelou a todos que Clary tinha ido com Jace e Sebastian como parte de seu plano para descobrir seu objetivo e se comunicar com eles através dos anéis das fadas que ela e Simon estavam usando.

Eles seguiram com o ritual de convocação. Quando o Azazel acorrentado foi convocado, ele exigiu uma lembrança feliz de cada um deles em troca do plano. Eles perceberam que tinham sido enganados quando, depois que as memórias foram entregues, Azazel revelou que seu plano envolvia ser lançado no mundo e simplesmente levar Sebastian para o inferno vivo, com a alegação de que sua conexão acabaria por queimar. Magnus recusou o plano de Azazel e o baniu.

Apesar de Alec ter considerado ir até o Hotel Dumort para fazer o fim de seu acordo com Camille, ele finalmente decidiu ir contra isso. Ele se encontrou com Camille para dizer a ela e, em vez disso, acabou perguntando sobre o passado de Magnus – seu lugar de nascimento e os pais, em particular. Ele voltou para Magnus depois.

Por causa do poder de Azazel, o demônio continuou enviando mensagens e voltando através do pentagrama exigindo uma resposta, embora já tivessem recusado sua ajuda. Eles testemunharam que Azazel se machucou depois de tentar prejudicar Simon – que entrou no pentagrama para salvar Presidente Miau – por causa de sua Marca de Caim. Simon percebeu que eles poderiam usá-la para convocar um anjo para pegar sua arma, embora Alec e a maioria dos outros discordasse inicialmente, sabendo que os anjos não gostavam de serem convocados. Deixados com pouca escolha, eles finalmente concordaram.

O grupo convocou Raziel na fazenda de Luke. Como as últimas palavras de Simon para Alec, Simon disse que ele sempre gostou dele mais do que ele gostava de Jace. A convocação foi bem sucedida no entanto, conforme Raziel deu a Simon a espada Gloriosa e até mesmo tirou a maldito Marca de Caim.

Através de Clary, descobriram que Sebastian pretendia criar um exército de Caçadores de Sombras Malignos usando o Cálice Infernal – uma versão demoníaca do Cálice Mortal – com o sangue de Lilith, a quem ele estava prestes a ressuscitar. Ela disse que ele e seus homens se reuniriam no Sétimo Local Sagrado no Burren. O grupo se separou para obter reforços e se encontrou pouco depois no Instituto para se Transportar para o Burren. Alec e Isabelle voltaram para o Instituto para pedir ajuda a sua mãe; Helen e Aline estavam lá com ela, e eles também ofereceram seus serviços, apesar da potencial repercussão por não contar a Clave. Eles então se reagruparam com Magnus e os outros, e juntos, todos eles se Transportaram para o Burren.

Na chegada, alguns dos seguidores de Sebastian já haviam sido transformados. Alec colocou-se em cima de um dólmen de pedra para um bom ponto de vista enquanto vencia seus inimigos com seu arco e flecha. Mesmo quando viu que Magnus tinha sido ferido, Alec continuou, para não interromper sua missão. Foi só quando Clary finalmente chegou a Jace – e Sebastian e seu exército começaram a se retirar – que Alec foi até Magnus e deu-lhe a força para permitir que Magnus se curasse.

Alec estava na enfermaria quando Jace – que tinha sido separado com sucesso de Sebastian e estava se recuperando da facada e do fogo celestial que agora atravessava seu corpo – acordou. Mais tarde reunidos com Isabelle, os irmãos compartilharam um momento e tranquilizaram Jace de que não havia problemas entre eles.

Alec mais uma vez foi para a estação para se encontrar com Camille e finalmente recusou sua oferta por completo. No entanto, sem o conhecimento dele, Camille estabeleceu sua próxima reunião como uma armadilha, deixando Magnus saber sobre suas conversas passadas. Para sua surpresa, Magnus revelou-lhe que ele já estava procurando uma maneira de torná-lo mortal, daí o motivo pelo qual ele queria o Livro Branco, mas ficou triste de que Alec estava mesmo considerando tirar a mortalidade dele. Eles compartilharam um último beijo, e Magnus terminou com ele, deixando para trás um Alec desesperado e choroso.

Furioso com ele e com Camille, ele a procurou com a intenção de matá-la. Maureen Brown, no entanto, havia sido mais rápida e já tinha matado e substituído Camille como a nova líder do clã de vampiros de Nova York.[9]

A Guerra Maligna

Alec permaneceu em estado de choque por semanas após sua separação com Magnus. Ele, e até seus amigos e familiares, tentaram consistentemente entrar em contato com Magnus, embora todos tenham sido ignorados.[13] No entanto, ele continuou tentando implacavelmente, até um dia em dezembro, Jace pegou e quebrou seu telefone.

CJ Magnus & Alec 01, CoHF.jpg

Quando o Clave pediu uma evacuação mundial de todos os Caçadores de Sombras para Idris devido aos ataques de Sebastian nos Institutos, Catarina Loss fez um Portal para que eles usassem. Pouco antes de eles partirem, Magnus chegou para lhe perguntar o que ele queria dizer a ele por telefone. Na verdade, Magnus estava preocupado, e ele disse a Alec que ele estava evitando falar e vê-lo porque ele sabia que ele não poderia resistir a ele. É claro, Magnus o beijou freneticamente antes de se afastar imediatamente. Magnus explicou que enquanto ele o perdoara e ainda o amava, sabia que não iria trabalhar por causa de sua imortalidade e seu medo de ver Alec envelhecer e morrer. Alec disparou e argumentou, dizendo-lhe que ele era parcialmente culpado por nunca ser verdadeiramente aberto com ele e por desistir deles facilmente. Magnus lhe disse adeus com palavras de advertência e partiu.

Uma vez em Alicante, eles receberam mais notícias sobre as ameaças de Sebastian e ataques fora de Idris. Quando Sebastian e seu exército atacaram a Cidadela Adamant, ele e Isabelle esperavam participar da batalha, mas foram detidos por seus pais. Quando o Cônsul enviou Caçadores de Sombras suficientes na Cidadela e o Portal foi fechado, eles quiseram pelo menos ficar no Garde como reforços.

CJ Simon & Izzy 01, and Alec.jpg

Durante o confronto, Alec descobriu de uma Isabelle enfurecida e emocional que Robert havia enganado Maryse com outra mulher e planejava deixá-los se Max não tivesse nascido. Em choque e desgostoso, Alec optou por deixar a conversa e, em vez disso, foi até Jia para tentar convencê-la a abrir outro Portal para a Cidadela. Ele então sentiu uma onda de dor e imediatamente soube que tinha a ver com Jace e o fogo celestial. A aparente urgência da situação convenceu Jia a reabrir o Portal e a evacuar a Cidadela. Quando ele veio para tirar Isabelle de sua casa – a casa do Inquisidor – ele entrou acidentalmente em seu quarto, onde Isabelle e Simon estavam juntos.[14]

Pouco depois de um membro do Conselho falar sobre os representantes do Submundo – formados por Magnus, Raphael, Meliorn e Luke, com Jocelyn acompanhando, o Crepuscular Matthias Gonzales chega e Alec o reconhece instantaneamente. Matthias informou que eles foram sequestrados por Sebastian e que ele queria Jace e Clary em troca. Ele atirou na mão de Matthias quando este tentou esfaquear Jia, e quando Jace se moveu para ir atrás de Matthias, Alec se atirou em Jace para impedir que ele se rendesse ou se machucasse pelo fogo que Matthias começou.

Quando o grupo foi a Corte Seelie para encontrar o caminho para o Inferno, eles souberam da traição e aliança dos fadas com Sebastian. Quando Meliorn ameaçou matá-los e se recusou a dizer-lhes onde seus prisioneiros estavam, Alec atirou em seu peito com uma flecha e o matou.

Ao entrar em Edom, um demônio que se alimenta de sonhos criou uma ilusão baseada em seus sonhos - uma ilusão falha. Na visão de Alec, ele estava sendo honrado pela Clave como o herói da Guerra Maligna, com Magnus - seu noivo na alucinação - e sua família, incluindo Max, ao seu lado. Como ele sempre quis na vida real, seu pai proclamou como ele estava orgulhoso de Alec e aprovou seu relacionamento com Magnus. A ilusão aparentemente perfeita começou a quebrar quando Jace revelou que ele tinha uma queda por Alec, e Clary manifestou interesse em vê-los juntos. O subconsciente de Alec começou a acordar e, de repente, o Magnus do sonho falou e tirou Alec da ilusão, logo após o qual ele matou o demônio.

Depois de lutar contra os demônios que guardavam a versão do reino da Garde, eles encontraram e libertaram Magnus e Luke. Alec reuniu-se com Magnus, que ficou doente devido à influência de seu pai sobre ele e o reino. Para poder se concentrar em cuidar de Magnus, ele disse aos outros para irem em frente. Eles se reuniram com todos os outros pouco depois na sala do trono. Alec atirou em Sebastian com uma flecha, que não conseguiu prejudicá-lo.

Para o alívio de todos, Clary enganou Sebastian, esfaqueando-o com Heosphoros, matando-o com sucesso. Infelizmente para eles, as fronteiras para o seu mundo já tinham sido seladas. Em último recurso, Magnus convocou o governante do reino: seu pai, Asmodeus. Asmodeus exigiu levar a imortalidade de Magnus, que o mataria, em troca de seu retorno seguro ao mundo deles. Alec recusou-se a aceitar a condição, dizendo-lhes que preferia ficar em Edom e morrer com Magnus em vez de voltar para Idris sem ele, mas Magnus recusou. Eles compartilharam o que parecia ser o último beijo dele; antes que Magnus pudesse se sacrificar, Simon ofereceu sua própria imortalidade, junto com suas memórias do Mundo das Sombras, no lugar de Magnus, ao qual Asmodeus concordou.[14]

Paz Fria

Durante a reunião do Conselho pós-guerra, a maioria dos presentes membros da Clave votou para deixar Mark com a Caçada Selvagem e enviar Helen para a Ilha Wrangel – exílio sob a aparência de uma longa viagem de pesquisa – simplesmente porque ambos eram meio-fadas. Alec e os outros votaram contra isso, mas foram superados em número por aqueles que votaram a favor da decisão.

Após a reunião, Alec estava ponderando os recentes acontecimentos no telhado da casa de seu pai em Alicante quando Magnus chegou para se juntar a ele. Magnus pediu desculpas por romper com Alec e admitiu que ele era parcialmente responsável, por não ser mais aberto sobre seu passado. Magnus então lhe deu um diário de alguns dos eventos importantes em sua vida, como uma prova de mais histórias de sua vida por vir. O casal concordou em dar a sua relação outra tentativa e voltou a ficar juntos.

Depois de retornar a Nova York, Alec substituiu como líder do Instituto por cerca de uma semana, enquanto Maryse fazia parte do grupo em Alicante que finalizou o novo tratado com as fadas. Quando Maryse voltou, ele imediatamente se mudou para o apartamento de Magnus, embora ele ainda passasse a maior parte de seus dias no Instituto.[14]

Alec tornou-se lentamente uma parte neutra na disputa de lobisomens e vampiros em Nova York, aconselhando os novos líderes da matilha de lobisomens e do clã de vampiros de Nova York, Maia Roberts e Lily Chen. Embora ele amasse o seu trabalho como um Caçador de Sombras, ele sentia que tinha encontrado o seu lugar de direito, trabalhando com Seres do Submundo.[15][16] Os três, junto com Magnus, começaram a ter "encontros de emergência" mais frequentes para discutir assuntos do Submundo na cidade que logo se tornaram reuniões regulares para resolver problemas em áreas problemáticas da cidade.[15]

Enquanto isso, Alec se afastou ainda mais de seu pai. Meses depois no casamento de Jocelyn e Luke, realizado na Fazenda Três Flechas, Robert disse que ele sempre se orgulhou dele. Ele compartilhou que a razão pela qual ele não fez nenhum esforço para conhecer Magnus, por que ele parecia não se importar com o relacionamento florescente de Alec com Magnus, era porque ele arruinou seu próprio vínculo com seu parabatai, Michael Wayland, depois de saber que este tinha desenvolvido sentimentos para ele. Após essa revelação, ele tentou perdoar o pai por suas falhas, mas ainda mantinha reservas profundas.[14]

Alec era incrivelmente agradecido a Simon por salvar as vidas de Isabelle e Magnus em Edom quando ele não conseguiu. Além disso, ele e Magnus se sentiram culpados pelo sacrifício de Simon, e ele lamentou ter subestimado ele no passado. O desaparecimento de Simon de suas vidas afetou muito Isabelle e Clary, e até Jace, e Alec não tinha ideia de como aliviar as dores de seus amigos, e quando Simon voltou sem suas memórias, Alec se sentiu desconfortável com Simon, 1ue era praticamente um estranho, mas tinha feito tanto por eles e, portanto, não sabia como agradecê-lo,[15] então ele o ignorou completamente.[17]

No início de 2010, um bebê de pele de azul-marinho foi deixado na Academia dos Caçadores de Sombras, bem quando ele e Magnus foram visitar. Com medo do que a Clave faria, Magnus se ofereceu para cuidar da criança temporariamente até que ele pudesse descobrir para onde enviá-la, e Alec concordou de forma imediata. Depois de uma longa discussão, ele e Magnus concordaram em adotar o menino, nomeando-o "Max".[15]

Eventualmente, a palavra do grupo – de Integrantes do Submundo e Caçadores de Sombras com poder que cooperavam e resolviam problemas – chegou a outros até mesmo fora da cidade, e eles começaram a ser procurados por ajuda.[15]

Salvando Magnus

Em setembro de 2010, os feiticeiros Ragnor Fell e Shinyun Jung invadiram o apartamento de Alec e Magnus, enquanto o primeiro estava tomando banho. Eles apunhlaram e feriram Magnus com um Svefnthorn e roubaram o Livro Branco. Alec rastreou a dupla até Xangai, usando um pedaço de pano que ele conseguiu rasgar da roupa de Ragnor, e eles decidiram partir para a cidade no dia seguinte. Alec ficou preocupado e chamou Catarina para curar Magnus quando ela comentou que seu ferimento era incomum.

Ele ligou para seus amigos e pediu que se juntassem a ele e a Magnus em sua missão. Ele deixou Max sob os cuidados de sua mãe e de seu segundo em comando, Kadir. Antes de partir, Maryse o informou sobre sua decisão de tornar Jace o diretor do Instituto. Assim que chegaram a Xangai, Alec rastreou Ragnor até um prédio desabitado em um beco, onde foram inesperadamente emboscados por demônios.

No dia seguinte, todos os Caçadores de Sombras foram para o Instituto de Xangai sem Magnus, onde Alec foi imediatamente reconhecido por um Caçador de Sombras local, Ke Yi Tian. Enquanto falava sobre a Concessão do Submundo, Magnus apareceu, seguido por Shinyun e seus demônios, contra quem eles lutaram. Eles seguem para a Casa Ke, onde Alec está apreensivo por Magnus, que desmaiou imediatamente. Durante o jantar, todos decidiram investigar a situação visitando o Mercado das Sombras de Xangai. Naquela noite, ele até percebeu correntes emergindo do corpo de Magnus. Algum tempo depois, ele caminhou pelo jardim e encontrou Jace, que buscou seu conselho sobre como dirigir o Instituto. Alec também recebeu uma ligação de sua mãe, que expressou sua preocupação com Max escalando as paredes do Instituto.

Eles visitaram Peng Fang na tarde seguinte, que compartilhou informações com eles sobre as compras de Ragnor e Shinyun no Mercado das Sombras, antes de o par se dirigir para encontrar os amigos de Alec no Palácio Celestial, onde eles descobriram sobre a história do Svefnthorn e a residência de SamaelDiyu. Seguindo o conselho de Tian, eles visitaram os ferreiros feéricos Mo Ye e Gan Jiang, que também eram pais da namorada de Tian, Jinfeng. Nesse período, Alec estava profundamente angustiado com a crescente desconfiança entre os Caçadores de Sombras. Mo Ye apresentou a Alec e Magnus, o Heibai Wuchang. Magnus recebeu a espada da misericórdia e Alec, a espada do julgamento. Assim que saíram da casa, eles encontraram o mercado sendo atacado por Ragnor e Shinyun. Um portal interdimensional foi aberto para Diyu, de onde todos se dirigiram para acabar com Samael.

Uma vez em Diyu, o grupo percebeu que Simon estava desaparecido, assim como Shinyun e Ragnor. Alec desconcertadamente percebeu os poderes crescentes de Magnus. Eles encontraram Elyaas, que estava trabalhando no "Escritório de Boas-vindas". Eles foram forçados a sacrificar Isabelle aos demônios Jiangshi, que acreditavam que eles eram almas mortas visitando Diyu. Alec estava particularmente agitado naquele ponto, no entanto, ele ficou surpreso ao encontrar Tian. Ao contrário de seus amigos, ele confiava em Tian, ​​que os levou ao Monte Tai para procurar Samael. Nesse meio tempo, ele garantiu a Magnus que não estava desapontado por seguir o último até o Inferno. Ao chegarem a uma ponte que os separava de seu destino, foram emboscados por dois demônios MaioresCabeça de Boi e Cara de Cavalo. Em pouco tempo, Ragnor e Shinyun chegaram também e enquanto discutiam entre si, todos foram abordados por Samael . Quando Samael revelou que Tian os havia traído, Alec, como todos os outros, ficou chocado. Samael desencadeou demônios sobre eles, e Alec e seus amigos foram forçados a pular de uma ponte enquanto Magnus os mantinha suspensos.

Ele ficou exasperado quando Shinyun voltou e defendeu Magnus quando ela começou a falar mal dele. Eles, então, pousaram na Catedral de Xujiahui. Shinyun os levou para onde Simon estava sendo torturado, e onde Samael revelou seus motivos para torturar Simon – porque o último tinha sido a causa da morte de Lilith. De repente, um Portal se abriu e Isabelle investiu contra Samael, montando um tigre gigante, acompanhada por Tian. Samael fugiu do local e eles voltaram para a igreja após derrotar os demônios, onde Tian lhes contou sobre sua suposta traição. Mais tarde, quando Simon ficou descontente com eles por arriscarem tanto, Alec ficou surpreso ao ver Isabelle concordando com ele. Ele também comunicou sua preocupação em relação à ascensão da Tropa a Tian.

Naquela noite, ele se vinculou a Magnus usando a runa de Aliança; uma vez que decidiram usar o feiticeiro como isca para atrair Samael. Ele acordou para encontrar tudo ao seu redor suspenso no ar – cortesia de Samael – e Magnus ausente. Ele aceitou o fato de que Magnus usou as espadas para libertar Ragnor da influência do espinho. Ele foi então mergulhado em Avici junto com Magnus e Ragnor. Ele lutava com Shinyun junto com Magnus quando Samael ordenou que ela recuperasse o Livro Branco deles. Eventualmente, Samael interveio e Shinyun pegou Alec, apontando o Svefnthorn em seu peito. O ultimato era que ela mataria Alec se Magnus não tomasse o terceiro espinho.

Antes que alguém pudesse reagir, Alec mergulhou a arma em seu coração. Os poderes do espinho e do anjo lutaram dentro dele, com o último vencendo, e através da magia obtida temporariamente, ele também removeu a influência da arma de Magnus. Shinyun ficou furiosa e se transformou em um demônio Maior, destruindo Diyu. Samael também partiu e, assim que alcançaram seus amigos, eles voltaram para Xangai e depois para Nova York.

Em Nova York, Alec expressou sua preocupação com o estado de ferimentos de Maryse e Kadir, mas eles insistiram que não tinha nada a ver com Max. Ele ficou feliz quando Jace aceitou a posição como o diretor do Instituto. Mais tarde, Magnus, Alec e Max voltaram para sua casa.[18]

Alguns dias depois, Alec levou Max a um parque para cansá-lo. Ele então adormeceu onde Magnus usou o resto da magia de seu ferimento com o Svefnthorn, para realizar um enorme feitiço de Oniromancia para hospedar um casamento para Tessa e Jem, que contou com a presença de todos os seus parentes, incluindo os Blackthorn e o fantasma de Will Herondale. Uma vez que foi realizado em seus sonhos, apenas o casal, Magnus e Alec, se lembrariam disso.[19]

Em certo ponto, o grupo formado anteriormente tornou-se oficialmente conhecido como a Aliança entre Caçadores de Sombras e Submundo, com a organização conquistando o apoio de Jace e Clary, que se tornaram os chefes do Instituto, e mais membros. Alec tornou-se ainda mais conhecido entre Seres do Submundo e Caçadores de Sombras por fazerem parte da Aliança.[16][20]

No início de 2012, quando chamado para Buenos Aires como um favor a Jem Carstairs, Alec conheceu um órfão da guerra no Mercado das Sombras local chamado Rafael. Alec começou a se afeiçoar e passou a proteger o menino e o tlevou para casa, e ele e Magnus concordaram em adotá-lo.[21] Eles lhe deram o segundo nome Santiago, dem homenagem ao amigo vampiro de Magnus, Raphael Santiago.[22]

Nova Clave

Mais tarde em 2012, Alec ficou perturbado com a morte de seu pai e a doença afetando todos os feiticeiros, com Magnus sendo afetado muito mais rápido devido ao seu poder e uso constante de magia. Quando Julian Blackthorn e Emma Carstairs encontraram a cura e Magnus começou a se recuperar, Alec foi capaz de se concentrar mais em ajudar em seus esforços para combater os atos anti-Integrantes do Submundo da Tropa. Alec lutou na batalha contra a Tropa e o exército Unseelie de Oban.

Na reunião realizada depois, quando Jia deixou o cargo de Consulesa e abriu o cargo para votação, Jace o nomeou para Cônsul e imediatamente ganhou o apoio vocal de muitos Caçadores de Sombras presentes na reunião. Ele foi desafiado pelos partidários da Tropa, no entanto, que indicou Lazlo Balogh, mas Alec foi capaz de refutar todos os seus ataques, ganhando mais elogios. Em última análise, Alec ganhou o voto majoritário e foi eleito o novo Cônsul.

Zara Dearborn e o resto da Tropa encarcerada, assim como os guardas que eram aliados de sua causa, que perderam apesar de receberem o direito de voto, recusaram-se a aceitar o resultado e ameaçaram marcar o início de seu reinado como Cônsul com o suicídio em massa da Tropa, caso Alec e seus fieis não deixassem a pátria dos Caçadores de Sombras. Não querendo mais sangue para ser derramado, e aderindo a sua afirmação anterior de que as vidas e mandato dos Caçadores de Sombras não existiam apenas em Idris, Alec concordou em sair e pediu àqueles que não queriam ser governados pela Tropa que se retirassem de Alicante.[22]

O novo governo, que ficou conhecido como Clave em Exílio,[23] foi estabelecido em Nova York nas semanas seguintes.

Agora com o poder de abolir a Paz Fria e garantir que seu casamento com Magnus fosse reconhecido como oficial, Alec começou a planejar seu casamento com Magnus. Ele fez planos com seus amigos em segredo,[22] e, cerca de três semanas após sua nomeação como Cônsul,[23] seus amigos e entes queridos se reuniram na praia ao redor do Instituto de Los Angeles no que foi feito para ser simplesmente uma festa, com o segredo mantido para Magnus por todos os presentes. Alec então pediu a Magnus que se casasse com ele e ele concordou. A cerimônia foi realizada naquela noite, oficiada por Jia, com como seu suggenes.

Personalidade e Traços

Alec é corajoso, atencioso e compassivo. Ele é contundente e direto uma vez que ele nunca se acostumou a pretensões.

Alec era inicialmente desconfortável, autoconsciente e sério na maioria das situações; nesse sentido, Alec era muito o oposto de sua irmã. Ele raramente era orgulhoso, acreditando nele sem muitas realizações, embora ele sempre quis orgulhar seus pais. Quando ele fez 18 anos, Alec ficou orgulhoso por ter sido permitido participar das reuniões do Conselho com os outros adultos Nephilim.

Em parte devido a sua educação e as crenças que ele aprendeu na sua juventude, Alec era julgador, arrogante e condescendente às vezes, e inicialmente tinha preconceito contra Seres do Submundo, embora isso eventualmente mudou quando sua vida se tornou tão entrelaçada com muitos deles. Ele também intimidava estranhos e pessoas que ele considerava uma ameaça para sua família. Alec também é sarcástico, com um senso de humor seco e mordaz, particularmente em observações dirigidas a pessoas com as quais ele não se sente particularmente interessado. Ele não faria nenhum esforço para ocultar seus sentimentos doentios em relação a eles, mostrando-o de maneiras sutis e pequenas, como ignorá-los abertamente ou não atender suas opiniões.

Alec também estava assustado em admitir, mesmo para si, sua própria sexualidade e sentimentos, ainda mais, porque ele estava preocupado com as opiniões de seus pais e outras pessoas. Durante muito tempo, Alec escolheu evitar potencialmente entrar em qualquer forma de relacionamento, deixando-se acreditar que ele estava realmente apaixonado por Jace, a quem ele não tem permissão para se apaixonar, porque teria sido mais fácil do que enfrentar as consequências de abraçar sua sexualidade.

Ele também pode ser bastante inseguro e ciumento, quando se trata de suas próprias realizações, bem como da história romântica de Magnus. Suas inseguranças, juntamente com a pressão que ele colocou em si, o tornaram um tanto guardado, embora, eventualmente, ele superasse suas próprias inseguranças e se tornasse mais confiante em si mesmo, com a ajuda e a segurança daqueles ao seu redor ao longo de suas aventuras.

Alec se inclina para decisões mais cautelosas e práticas, exceto talvez quando se trata do bem-estar daqueles que ele ama. Alec é muito protetor de sua família e tende a assumir a maior responsabilidade como o mais velho de seus irmãos. Durante anos, Alec serviu como protetor e curandeiro no grupo, concentrou-se mais na segurança de seus irmãos e, portanto, nunca matou um demônio até depois de completar 18 anos, colocando-se em perigo para protegê-los também. Embora ele também esteja comprometido com a realização de sua tarefa e seguindo a lei de Clave, Alec faria qualquer coisa para salvá-los, até desafiar a autoridade se isso ajudasse seus amigos. Ele também não gosta de ver seus entes queridos com dor e fica tão ferido quando ele não pode fazer nada para aliviar sua tristeza; ele mesmo escolheu sofrer com eles em vez de mesmo considerar deixá-los para trás.

Descrição Física

Codex Alec.jpg

Alec é alto e em forma, com uma compleição magra e esguia. Ele tem cabelos negros e olhos azuis. É dito que ele possui uma semelhança inquietante com seu ancestral remoto Will Herondale.

Habilidades e Competências

  • Fisiologia Nephilim: Sendo Nephilim, Alec possui uma variedade de habilidades físicas e mentais aprimoradas, garantidas a ele pelo sangue de Raziel em suas veias, e também as marcas angelicais do Livro Gray. Isso inclui maior força, velocidade, agilidade, resistência e coordenação, que continuam a melhorar ao longo do tempo e da prática.
    • Visão: Como um Caçador de Sombras, Alec é natural e facilmente capaz de ver através da maioria das ilusões mágicas e camadas de glamour sobre a realidade.
    • Magia Rúnica: Devido ao sangue do anjo em suas veias, todos os Caçadores de Sombras são capazes de aplicar runas em suas peles sem perigo real. Essas marcas, por sua vez, geram efeitos variados e servem para beneficiar aqueles que as portam.
    • Uso de armas celestiais: Como um Caçador de Sombras, Alec também é capaz de realizar tarefas exclusivas de sua espécie, como a capacidade de usar e chamar o poder dos anjos para suas lâminas serafim, bem como lidar com armas ou objetos celestiais com efeito, o que normalmente não funciona para outras espécies. Em particular, estas são ferramentas feitas de adamas e forjadas pelas Irmãs de Ferro.
  • Ligação parabatai: Devido a sua ligação parabatai com Jace Herondale, Alec é capaz de chamar mais força durante a batalha. As runas desenhadas por Jace também dão um efeito consideravelmente mais forte.
  • Arco e Flecha: Alec é particularmente bom em arco e flecha.

Pertences

  • Equipamentos básicos de Caçador de Sombras, incluindo: um Sensor, estelas, lâminas serafim, e luz enfeitiçada.
  • Arco e flechas: Alec utiliza o arco e flechas como sua principal arma em batalha.
  • Lança de penas: Alec utiliza uma lança de penas como segunda opção para uma arma na batalha.
  • Adagas: Alec também usa adagas ocasionalmente.
  • Diário do Magnus: um livro contendo parte do passado de Magnus.
  • Anel da família Lightwood encantado: Como muitos Caçadores de Sombras, Alec possui um anel que simboliza o nome de sua família. Ao contrário de outros, o anel da família de Alec é único, pois é imbuído de feitiços de seu marido, Magnus, incluindo feitiços para proteção, deflexão e feitiços para ajudar a guiar suas flechas e lâminas, para ser capaz de sentir melhor as proteções, junto com outros que Magnus poderia pensar para garantir a segurança de Alec.[21]

Relacionamentos

Romances

"Quando eu te encontrei eu não sabia o que estava encontrando. Palavras sobre coisas que são bonitas e preciosas para mim não são fáceis. Você sabe disso. Você me conhece melhor do que ninguém. E quando um dia as pessoas olharem para trás para mim e o que minha vida significou, não quero que digam 'Alec Lightwood lutou na guerra maligna' ou até mesmo 'Alec Lightwood foi cônsul uma vez.' Eu quero que eles pensem: 'Alec Lightwood amou tanto um homem que ele mudou o mundo por ele.'"

–Alec para Magnus quando ele propôs, Rainha do Ar e da Escuridão

Tarot Runes 4.jpg

Magnus foi imediatamente atraído por Alec e flerta abertamente com ele quando se encontraram; Alec, porém, acreditava que ele estava apaixonado por Jace e não tinha certeza sobre seus sentimentos por Magnus. Depois de Magnus salvar sua vida, pela primeira vez, Alec foi agradecer-lhe pessoalmente. Quando Magnus descobre que ele nunca tinha sido beijado, Magnus lhe deu seu primeiro beijo, e os dois concordaram em ir sair em um encontro. Eles continuaram a se ver secretamente, embora seus amigos tenham descoberto depois de algumas semanas de relacionamento.

Eventualmente, Alec percebeu que amava Magnus, aceitando plenamente que ele realmente não tem sentimentos por Jace. Durante a Guerra Mortal em Alicante, Alec se declarou homossexual abertamente aos seus pais e o resto da comunidade de Caçadores de sombras beijando Magnus antes da grande batalha. Alec permaneceu com Magnus, apesar da desaprovação aparente de seu pai, e até viajou com ele por algumas semanas após a guerra.

O relacionamento deles atingiu uma fase difícil quando Alec começou a se sentir ameaçados pelos séculos de história de namoros de Magnus, as partes de sua vida que Alec ainda desconhecia, e sua imortalidade, principalmente devido às ideias incutidas em sua mente pela antiga paixão de Magnus, Camille. Alec preocupado com o envelhecimento e um dia morrer, enquanto Magnus permaneceria jovem e viveria para sempre. Alec tentou encontrar uma maneira de tornar-se imortal; quando ele não encontrou nenhuma, ele pensou em fazer Magnus mortal —Um pensamento que Magnus encarou como uma traição, levando a seu rompimento.

Durante este tempo, Alec fez vários esforços para reconciliar com Magnus, todos os quais Magnus rejeitou enquanto ele continuou a manter a sua distância e evitá-lo por completo, para recuperar o tempo Magnus beijou Alec antes de ir para Alicante. Quando Magnus foi sequestrado por Sebastian, Alec foi para o Inferno em uma tentativa desesperada para resgatá-lo. Quando eles retornaram com segurança ao seu mundo, Alec pediu desculpas por sua indiscrição, e até mesmo Magnus admitiu seus erros e, finalmente, decidiu contar a Alec sobre o seu passado, dando-lhe um livro que continha vários eventos importantes ao longo de sua vida. O casal se reconciliou e estão atualmente em um relacionamento muito comprometido.

Quando Alec e Magnus foram confrontados com a questão de adotar um bebê feiticeiro abandonado, Alec o pediu em casamento, e embora Magnus tivesse aceitado, não queria se casar enquanto a Clave não reconhecesse a união. A dupla procedeu com a adoção e, anos depois, adotou uma criança Caçadora de Sombras órfã. O casal foi finalmente capaz de se casar quando Alec se tornou Cônsul, finalmente capaz de mudar como a Clave poderia reconhecer seu casamento.

Família

Estou acostumado a contar tudo para ela.

–Alec sobre Isabelle, Os Pergaminhos Vermelhos da Magia

Tarot 16.jpg

Alec e Isabelle são muito próximos. Eles sempre cuidam um do outro; Alec especificamente se sente em grande parte responsável por ela, sendo seu irmão mais velho, e faz questão de proteger sua segurança mais que a sua própria durante as batalhas. Alec também é muito afetado quando Isabelle está sofrendo, seja fisicamente ou emocionalmente.

Isabelle, por outro lado, sempre está preocupada com o bem-estar emocional de Alec, muitas vezes se preocupando com sua vida amorosa e com o que os outros dizem sobre ele. Isabelle foi a primeira a conhecer sua sexualidade e respeitou sua privacidade guardando seu segredo, e quando se tornou de conhecimento público, Isabelle tentou protegê-lo da negatividade de outras pessoas.

Desde que se entendia por gente, Alec amava e se sentia responsável por sua família. Nunca houve escolha, mas com Jace era diferente. Jace, seu parabatai, foi a primeira pessoa que o escolheu. A primeira vez que Alec resolveu escolher alguém e assumir mais uma responsabilidade. A primeira escolha, que abriu a porta para todas as outras.

–Alec sobre Jace, A Terra Que Perdi

Tarot Runes 6.jpg

Jace Herondale é irmão adotivo de Alec, melhor amigo, e parabatai.

Por um tempo, Alec ficou apaixonado por Jace, embora ele rapidamente tenha superado isso quando começou a desenvolver sentimentos por Magnus, e mais ainda quando Jace o confrontou e fez com que percebesse que Alec usava o fato de que ele não podia agir sobre seus sentimentos como uma desculpa para evitar um relacionamento real – e a dor potencial de estar em um – com alguém que ele realmente pode amar. O par não deixou que isso arruinasse sua relação e, em vez disso, continuou a fortalecer seu vínculo e amor um pelo outro.

Alec também era um pouco inseguro com Jace, acreditando que ele era inferior em relação a Jace e era um pouco ciumento do reconhecimento que Jace recebeu de seu pai, seu irmão e aqueles que o cercavam, embora ele nunca tenha culpado Jace por suas inseguranças ou tratado ele negativamente por isso, e Jace não fez nada, mas assegurou-lhe que, embora ele possa ser fisicamente melhor, Alec era uma pessoa muito melhor.

Max era o irmão mais novo de Alec. Alec cuidou e amava profundamente o irmão mais novo. Quando Max foi morto, toda a família lamentou por sua morte e sentiu rancor contra Sebastian por isso. Ele lidou com o seu sofrimento à sua maneira, principalmente em silêncio, mas, como Isabelle, seus desejos mais profundos ainda envolviam seu irmão vivo e, olhando para ele da maneira como Max adorava Jace como um herói. Alec nomeou seu primeiro filho em sua homenagem.

Maryse é a mãe de Alec. Alec tem um relacionamento geralmente bom com sua mãe. Embora ela ainda tivesse suas opiniões, ela aceitou mais a sexualidade de Alec e o relacionamento com Magnus – pelo menos quando comparado a Robert – o suficiente para que ela fizesse um esforço para tolerar Magnus e, eventualmente, para entender a natureza de sua relação.

Alec sabia que Robert o amava, mas isso não era o mesmo que ter sua confiança. Aquilo era novidade.

–Alec sobre Robert, A Terra Que Perdi

Robert é o pai de Alec. Quando criança, Alec via seu pai como o maior e mais terrível homem em sua vida, mas ao mesmo tempo o admirava. Alec esforçou-se por tornar seu pai orgulhoso dele, sem se dar conta de que Robert já era, embora ele nunca falava completamente sobre isso.

Seu relacionamento, e o respeito de Alec por seu pai, foram contaminados quando Alec sentiu que Robert não podia aceitar sua sexualidade e, quando descobriu que Robert já havia enganado Maryse e quase a deixado por sua amante. Depois de um conversa, Robert tentou pedir desculpas por suas falhas. Robert não tinha certeza sobre como se aproximar ou reagir à revelação de que Alec era gay, porque se sentia culpado pela maneira como tratou seu próprio parabatai que se apaixonou por ele e explicou isso a ele. Ele disse a Alec que ele sempre teve orgulho dele e que Alec era um homem muito melhor do que ele. Alec, com o impulso de Magnus, decidiu corrigir-se com ele e tentar e trabalhar para algum dia perdoar completamente seu pai e Robert continuou a fazer um esforço para fazer parte de sua vida, conhecendo Magnus e seus filhos adotivos.

Amigos

Foi assim que Alec passou a amá-la, depois de passar tanto tempo nutrindo uma antipatia gratuita: nas maiores ou menores situações, Clary nunca decepcionava.

–Alec sobre Clary, A Terra Que Perdi

Alec inicialmente não gostou fortemente de Clary e nunca se preocupou em esconder o seu desagrado em relação a ela. Ele não estava disposto a ajudar Clary e só o fez porque Jace insistiu nisso. Esta tensão mesmo resultou em Alec brevemente com ciúmes de Clary, devido à atração óbvia de Jace por ela.

Alec finalmente superou isso, percebendo ao longo do tempo que Clary era uma boa pessoa por direito próprio. Ele começou a se abrir para ela e abraçou a ideia de serem aliados e, eventualmente, amigos.[24] Depois de anos de amizade, os dois formaram um vínculo tão estreito que Alec agora até mesmo vai para Clary para obter ajuda e conselhos, e Alec foi até apoiar a proposta de Jace para ela.[16]

Assim como com Clary, Alec também não gostava de Simon. Embora nunca se tornassem muito amigos, eram aliados que ficaram tolerantes com a presença um do outro e, mais ainda, quando Simon se envolveu com sua irmã, Isabelle. Embora não fossem próximos, Alec aprovou seu relacionamento, ao reconhecer que Simon poderia ser bom para sua irmã e a fazer feliz. Quando Alec viu os extremos que Simon iria para salvar as pessoas com quem ambos se preocupavam – Isabelle e Magnus – e quando ele se sacrificou por Magnus, Alec sentiu-se incrivelmente em dívida com ele.

Alec era inicialmente crítico quanto aos Seres do Submundo, como a maioria dos Nephilim. Eventualmente, Alec veio a desenvolver um sentimento de respeito por eles e começou a desempenhar os deveres de Nephilim de ajudar os Seres do Submundo de forma mais plena. Ele tornou-se um forte aliado de Membros do Submundo. Alec, junto com Maia Roberts, Lily Chen, Magnus e, mais recentemente, Clary e Jace, trabalharam para trazer ordem para o Submundo de Nova York. Lily rejeitou a maioria dos Nephilim, com exceção de Alec e seus amigos.

Sempre se dera bem com ela, que era mais quieta do que Isabelle e Jace. Sempre sentira que eles se entendiam.

–Alec sobre Aline, Os Pergaminhos Vermelhos da Magia

Aline é uma amiga de infância de Alec, uma vez que suas famílias tem uma longa história juntas.

Quando Alec beijou Magnus no Salão dos Acordos na frente de diversos membros da Clave, ele inadvertidamente inspirou Aline a se assumir para seus pais e fazer um movimento quando conheceu Helen, que se tornou sua namorada.

Alec tornou-se familiar com os Blackthorn em 2007. Ele conheceu Helen Blackthorn, um colega de Clave e a primeira namorada de Aline. Ele conheceu Helen Blackthorn, um membro da Clave e a primeira namorada de Aline. Ambos se apoiaram durante os votos que interessavam a ambos; Helen votou para continuar a procurar por seu parabatai Jace, e ele mais tarde votou contra o seu exílio para a Ilha Wrangel, embora as probabilidades fossem contra eles em ambos os casos. Alec conheceu os jovens Emma Carstairs e os irmãos de Helen durante a Guerra Maligna, durante as quais Emma lhes deu pistas cruciais para a batalha contra Sebastian.

Aparições

Galeria

Veja mais aqui

Etimologia

Seu primeiro nome, Alexander, significa "homens que defendem” em grego, enquanto o seu nome do meio, Gideon, é de origem bíblica e significa "destruidor”.

Curiosidades

  • Quando perguntado uma vez de seus medos, a única coisa que ele poderia pensar que o assustava eram aranhas.[8] Aparentemente, ele também tem medo de guarda-chuvas.[9][25]
  • Antes de 2007, Alec nunca tinha matado um demônio.[5]
  • Uma vez, Alec deu uma festa de aniversário surpresa a Magnus onde os convidados eram quase exclusivamente gatos.[26]
  • Alec leva o nome de dois de seus antepassados: Alexander e Gideon Lightwood.

  • Alec foi baseado em um amigo de Cassandra Clare que cometeu suicídio.[27]
  • Alec originalmente deveria se chamar Alex antes de Clare decidir que "Alec é uma versão mais interessante de Alexander."[28] O apelido também é uma referência a Alec de Swordspoint por Ellen Kushner.[29]

  • Referências

    Caçadores de Sombras Notáveis
    Abigail Caçadora de Sombras | Alastair Carstairs | Alec Lightwood | Aline Penhallow | Aloysius Starkweather † |
    Amatis Herondale † | Andrew Blackthorn † | Anna Lightwood | Annabel Blackthorn † | Anush Joshi | Ariadne Bridgestock | Arthur Blackthorn † | Ash Morgenstern | Barbara Lightwood | Beatriz Mendoza | Cameron Ashdown | Cecily Herondale | Céline Herondale † | Charles Fairchild | Charlotte Fairchild | Christopher Lightwood | Clary Fairchild | Cordelia Carstairs | Cristina Rosales | David, o Silencioso | Diana Wrayburn | Diego Rosales | Divya Joshi | Dru Blackthorn |
    Edmund Herondale | Emma Carstairs | Ephraim Loss † | Eugenia Lightwood | Gabriel Lightwood | Gideon Lightwood | Grace Blackthorn | Helen Blackthorn | Henry Branwell | Hodge Starkweather † | Horace Dearborn † |
    Imogen Herondale † | Irmão Enoch | Irmão Jeremiah † | Irmão Zachariah | Isabelle Lightwood | Jace Herondale |
    Jaime Rosales | James Herondale | Jem Carstairs | Jessamine Lovelace † | Jesse Blackthorn | Jia Penhallow | Jocelyn Fray | Jon Cartwright † | Jonathan Caçador de Sombras | Julian Blackthorn | Julie Beauvale † | Kit Herondale |
    Livvy Blackthorn † | Lucie Herondale | Luke Garroway | Manuel Villalobos | Marisol Garza | Mark Blackthorn |
    Maryse Lightwood | Matthew Fairchild | Max Lightwood † | Michael Wayland † | Mina Carstairs | Tavvy Blackthorn | Rafael Lightwood-Bane | Robert Lightwood † | Roland Loss | Rosemary † | Sebastian Morgenstern † | Sebastian Verlac † | Simon Lewis | Sona Carstairs | Sophie Collins | Stephen Herondale † | Tatiana Blackthorn | Tessa Gray | Thais |
    Thomas Lightwood | Ty Blackthorn | Tobias Herondale † | Valentim Morgenstern † | Wayland, o Ferreiro |
    Will Herondale † | Zara Dearborn
    mais...
    Família Lightwood
    Alec Lightwood | Alexander Lightwood | Andrew Lightwood † | Anna Lightwood | Barbara Lightwood † |
    Barbara Pangborn † | Benedict Lightwood † | Catia Monteverde † | Cecily Herondale | Christopher Lightwood |
    Eugenia Lightwood | Felicia Lightwood | Gabriel Lightwood | Gideon Lightwood | Grace Blackthorn | Isabelle Lightwood | Isidore Lightwood | Jace Herondale | Jesse Blackthorn | Magnus Bane | Maryse Lightwood | Max Lightwood † |
    Max Lightwood-Bane | Phoebe Gladstone † | Rafael Lightwood-Bane | Robert Lightwood † | Sophie Collins |
    Tatiana Blackthorn | Thomas Lightwood
    Família do Magnus
    Alec Lightwood | Magnus Bane | Max Lightwood-Bane | Rafael Lightwood-Bane
    Família Trueblood
    Adam Trueblood | Alec Lightwood | Isabelle Lightwood | Marisa Trueblood | Maryse Lightwood | Max Lightwood † |
    Max Trueblood
    Esta página utiliza conteúdo de uma página da The Shadowhunters Wiki. A lista de autores pode ser vista no histórico da página.
    Advertisement